Quem sou eu

Minha foto
Eusébio, CE, Brazil
Espírita - Brasil

quarta-feira, 22 de junho de 2016

QUANDO CERTO E ERRADO ESTÃO CERTOS

O titulo é contraditório mas a afirmação está correta quando o enfoque for a evolução do ser espiritual, no sentido de ambos, o certo e o errado, são ferramentas da evolução. Somos espíritos em constante aprendizado e evolução. Exercemos o livre arbítrio e crescemos em conhecimento por nossas ações e escolhas.

Aprendemos quando fazemos o certo e aprendemos, também, quando fazemos o errado. Claro que haverá o resultado feliz e o resultado infeliz - mas ambos trazem consigo proveitosas lições. Somos fruto de uma herança espiritual de muitas vidas em que o certo e o errado formaram o "carma" atual. Também o certo e o errado de agora são as sementes para colheitas em vidas futuras.

Seria conveniente fazer sempre o certo mas o livre arbítrio nos faculta fazer o errado, mediante a condição de retificar o erro em etapas futuras de vida, retendo o aprendizado.

A Lei da Ação e Reação (carma) já é a Justiça Divina que se materializa sem julgamentos e sem condenação. Cada ser carrega consigo, na consciência, o próprio julgamento e a sentença que é a obrigação de colher os frutos semeados. Ninguém julga. Ninguém condena.

A felicidade ou a infelicidade que nos fizer companhia - pelo Universo - será o estado mental compatível com o grau de evolução alcançado, o qual definirá, por afinidade, locais e companhias para convivência adequada.

O segredo da vida está em obter a iluminação. E esse é um caminho solitário porque a Luz está dentro de cada um e não será encontrada em lugar nenhum ou com nenhuma pessoa externa. 

A Luz de Deus está dentro de cada um. 

Tomar conhecimento do "eu" como ser espiritual é imprescindível e o primeiro passo para aflorar a Luz que há em todos nós. O "eu" possui um corpo e vive a vida terrena para ascender espiritualmente e amplificar a Luz, que é o componente do seu corpo eterno.

Os que caminham conosco podem, eventualmente, nos ajudar no caminho dessa conscientização, mas há um limite que separa o externo do interno, do subjetivo. Ninguém penetrará o subjetivo de outro "Ser" para ali libertar a Luz. Nossos Mestres sempre esbarrarão no nosso livre arbítrio onde nunca poderão ultrapassar. 

Quem estiver lendo esse texto, não tome nele qualquer orientação ou ensino, estou escrevendo para mim, para identificar o meu próprio caminho e a minha própria evolução. Estou tentando refletir, olhando para dentro de mim.

Tenho que tomar consciência que o passado está feito e os seus frutos são o meu presente. Preciso pensar que o futuro não existe concretamente, ele é uma suposição e um pensamento. Quando o futuro se concretizar ele é presente e, no instante da percepção, o futuro já é passado e já estará gerando vida e condições presentes. O meu ontem foi o futuro de anteontem e é o passado de hoje, que será o passado de amanhã. O tempo apenas existe na eternidade, mas não pode ser medido e nem contado. Nossas referências para contar o tempo são referências locais e não se aplicam ao todo.

Voltando ao tema do certo e do errado, temos que considerar que todos os fatos geraram e geram a experiência e o aprendizado, por isso, não está errado dizer que aprendemos mais com os nossos erros do que com os nossos acertos. Por esse ângulo, devemos considerar que os nossos erros são "mestres" geradores do conhecimento e da sabedoria, embora tragam consigo o gosto amargo da reparação.

Equivocamo-nos quando damos diversos enfoques à nossa vida, esquecendo o fator principal de que somos espíritos criados por Deus - buscando a perfeição - e voltando para Deus. 


-.-.-.-.-.-.-