Quem sou eu

Minha foto
Eusébio, CE, Brazil
Espírita - Brasil

quinta-feira, 27 de abril de 2017

Espiritismo é religião ou Ciência Filosófica?

Religião ou Filosofia?

Essa é uma pergunta que divide os que aderem aos ensinamentos do espiritismo.

Na verdade, há conteúdo para as duas vertentes - religião ou filosofia.

Seria fácil nomeá-lo como religião já que se ocupa da transcendência da vida terrestre, focando a continuação da mesma vida no plano espiritual, ou seja, ele cuida do que seria religião e vai mais além para dizer da vida do espírito, após a morte terrestre, em toda a sua plenitude existencial, no que concerne a relacionamentos e futuros desdobramentos. Esses são aspectos adequados à religião.

Adotando o enfoque da filosofia, pode-se dizer que toda a revelação sobre a origem da vida humana, sua razão e finalidade, assim como, toda a explicação das condições da vida humana - tão diferentes entre uns e outros seres humanos - seria uma resposta e uma descoberta-explicação para as indagações humanas que se perdem nos séculos do tempo, contado no nosso planeta.

Como ponto de vista pessoal, gosto de afirmar que o Espiritismo não veio como nova religião, pela simples razão de que as suas revelações são adequadas a todas as vertentes religiosas. Os Espíritos Superiores não escolheriam "criar" uma nova religião, por que eles mesmos, quando viveram sobre a Terra, praticaram religiões diferentes e muitos a elas dedicaram a sua vida terrestre.

O que é preciso ter em mente é que ESPÍRITO SUPERIOR não tem religião, ele tem a verdade da criação - DEUS - e a realidade de todos os espíritos e homens, que são caminhantes para a perfeição, num retorno para Deus.

Eu acredito mesmo que nem haveriam novas revelações se o propósito fosse criar uma nova religião, pois eles, os espíritos esclarecidos, sabem que o crescimento espiritual decorre da aquisição e prática das virtudes, o que não se restringe a uma só religião.

Todos os Espíritos Superiores são unânimes em afirmar que quem praticou o espiritismo na vida terrestre não goza, por essa razão, de qualquer privilégio ao ingressar no Plano Espiritual. Lá só se conta o progresso espiritual alcançado, o qual se mede pela Vibração Espiritual que apresenta cada ser.

Segundo essa vibração, o espírito será atraído para a "morada celeste" que lhe guarda afinidade. Lá se separa o joio do trigo. Tudo sem julgamentos ou condenações. Os que fizerem jus habitarão lugares felizes, os que permaneceram em baixa vibração espiritual habitarão lugares menos felizes ou, até, lugares de sofrimento.

Lembrando, sempre, que todos receberão novas oportunidades - novas vidas físicas para que possam trabalhar o seu crescimento espiritual.

O ponto ideal seria que as revelações espíritas fossem absorvidas pelas religiões, modificando-se elas no que fosse necessário, para que se adequassem aos "novos ensinamentos que Jesus postergou para o futuro".

O Espiritismo nasceu puro, sem templos, sem dogmas, sem sacramentos, sem artigos de fé que não possam ser discutidos e, principalmente, sem hierarquias religiosas, portanto, fico com a posição de que o Espiritismo não é uma nova religião.

Até o termo "espiritismo" surgiu após as revelações dos Espíritos Superiores e, portanto, não foi ditado por esses mensageiros de Deus.


.-.-.-.-.-.-.-.