Quem sou eu

Minha foto
Eusébio, CE, Brazil
Espírita - Brasil

segunda-feira, 30 de abril de 2012

MENTE ABERTA: Cuidando do corpo

MENTE ABERTA: Cuidando do corpo: Deepak Chopra é médico formado na Índia, com especialização em Endocrinologia nos Estados Unidos, onde está radicado desde a década de...


"Cuidando do corpo

Deepak Chopra é médico formado na Índia, com especialização em Endocrinologia nos Estados Unidos, onde está radicado desde a década de setenta.
Filósofo de reputação internacional, já escreveu mais de três dezenas de livros, sendo um dos mais respeitados pensadores da atualidade.
A respeito do ser humano saudável, ele escreveu: Somos as únicas criaturas na face da Terra capazes de mudar nossa biologia pelo que pensamos e sentimos!
Nossas células estão constantemente bisbilhotando nossos pensamentos e sendo modificadas por eles.
Um surto de depressão pode arrasar nosso sistema imunológico.
Apaixonar-se, ao contrário, pode fortificá-lo tremendamente.
A alegria e a realização nos mantêm saudáveis e prolongam a vida.
A recordação de uma situação estressante, que não passa de um fio de pensamento, libera o mesmo fluxo de hormônios destrutivos que o estresse.
Nossas células estão constantemente processando as experiências e metabolizando-as, de acordo com nossos pontos de vista pessoais.
Quando nos deprimimos por causa da perda de um emprego, projetamos tristeza por toda parte no corpo. A produção de neurotransmissores, por parte do cérebro, se reduz. Baixa o nível de hormônios. O ciclo de sono é interrompido.
As plaquetas sanguíneas ficam mais viscosas e mais propensas a formar grumos. Os receptores neuropeptídicos, na superfície externa das células da pele, se tornam distorcidos.
E, até nossas lágrimas passam a conter traços químicos diferentes das lágrimas de alegria.
Contudo, nosso perfil bioquímico é alterado, quando nos encontramos em nova posição.
A ansiedade por causa de um exame acaba passando, assim como a depressão por causa de um emprego perdido.
Assim, se desejamos saber como está nosso corpo hoje, basta que nos recordemos do que pensamos ontem.
Se desejamos saber como estará nosso corpo amanhã, será suficiente que examinemos nossos pensamentos hoje.
Abrir nosso coração para a alegria e as cosisas positivas é fundamental. Se desejamos gozar de saúde física, é necessário mudar nossa maneira de pensar.

Jorge Luiz."

Meu comentário:

Gostei muito Jorge.
Um lindo artigo. Reforça a tese de que as doenças são atraídas pelas nossas emoções. Raiva, mágoa, ressentimento, estresse e depressão estão na raiz de todos os males.
O remédio é perdão e amor.
A receita poderia ser distribuir sorrisos e abraços.
Valeu. Obrigado.
Abraço
Euleir Eller



.-.-.-.-.-.-.-.

sábado, 28 de abril de 2012

CASA GOSTOSA

Eu tenho uma casa gostosa.

Como eu sei disso? Primeiro porque eu mesmo me sinto muito bem dentro dela e, segundo, poque as pessoas que me visitam, logo que entram, dizem algo como: Que casa gostosa! Que ambiente leve! Que energia boa!


Também, na hora de ir embora, reforçam: Eu gostaria de ficar mais, é muito bom estar aqui ou, ainda, pena que tenho de ir embora!

Casa gostosa é aquela onde se sente as boas energias no ambiente.

Todas as casas em que morei foram casas repletas de boas energias, independentemente, de serem casas pequenas ou grandes, novas ou velhas, bem mobiliadas ou não.

A sua casa também pode ser assim. Incorpore a fé e o temor a Deus em sua vida. Instaure uma aura de amor e do perdão como roteiro de vida. Isso criará as boas energias dentro da sua casa.

Onde há Deus, há amor. Onde há amor, há paz.

A boa energia precisa ser cultivada no dia a dia. Você atrai, com ações pensamentos, a energia que circundará a sua aura e o ambiente da sua casa.

Experimente introduzir amor, perdão e bons pensamentos, na sua maneira de viver e notará a diferença. Até os colegas de trabalho notarão a diferença.

E se você pedir que os anjos de Deus te acompanhem, melhor ainda. As pessoas vão gostar de estar próximas de vos boas energias.

Afaste da sua mente as energias de tristeza, de ódio ou de ressentimentos e, também, as lembranças dos fatos passados que lhe causaram amarguras ou frustrações.

Perdoe o passado. Esparrame sobre o passado uma nuvem de perdão, independentemente de identificar culpados ou vítimas. Perdoe tudo e todos, inclusive você mesmo.

Ninguém precisa ficar preso ao passado. Pense que o passado foi vivido e agora é necessário libertar-se dele. A missão, agora, é viver o presente construindo o futuro, sempre com boas energias.

Não deseje o mal para ninguém. Pensamentos assim atraem energias negativas para a sua aura.

Tenha uma casa gostosa e um bom ambiente de trabalho!

Seja Feliz!

Deus te abençoe!

.-.-.-.-.-.-.-.



sexta-feira, 27 de abril de 2012

Engolindo Peixe Vivo


Gosto muito de nadar, desde que em trechos curtos, águas calmas, piscinas ou recantos escolhidos de rios ou praias.

Sempre tive inexplicável pavor de água.

Quando criança, nem ousava colocar o pé dentro de um rio, parecia que as águas iam me puxar bem pro fundo e me levar.

Vai daí que ouvi aquela historinha de meninos de que se você engolir um peixe vivo, automaticamente, você aprende a nadar e nunca se afoga. Menino de interior, da roça, acreditava em tudo.

Num belo dia, estando sozinho à margem de um córrego, me ocorreu que era uma boa oportunidade para experimentar a receita de engolir o peixe vivo e aprender a nadar. Ali, no escondido, ninguém presenciaria o "mico".

Pegar o lambari foi tarefa fácil, tal a quantidade deles nadando por ali. Peguei uma folha de inhame bem larga e a mergulhei na água, logo havia alguns lambaris sobre ela. Levantei a folha rapidamente pelas pontas e lá estava o meu lambari preso na porção de água que restou no copo formado pela folha.

Até aí tudo bem. Era até bonito o lindo peixinho nadando ansiosamente para escapar. Bom, já tinha o peixinho vivo, agora era o caso de engoli-lo, sem mastigar, lógico, porque senão não teria engolido o bichinho vivo.

A água disponível para a tarefa era aquela mesma do córrego, cheia de folhas e talos em decomposição. Limpei o que pude daquela porção de água contida com o peixinho, mas aquela água não apetecia de jeito nenhum.

Deu vontade de desistir de aprender a nadar logo de uma vez.

Aí veio aquele pensamento que todo menino tem na hora da dificuldade:  "Afinal, você é homem ou não é homem?", porcaria de pergunta que obriga os garotos a fazerem tanta coisa contra a vontade...

Quase com raiva do peixinho, fechei os olhos e engoli o bichinho com aquela água asquerosa...

Engraçado! Ato contínuo me dei conta de que havia feito uma besteira... De repente, bateu lucidez.  Onde já se viu um peixe engolido, ainda que vivo, ensinar alguém a nadar!

Tardia constatação. Agora era segurar o enjoo para não vomitar, para não piorar as coisas.

Não aprendi a nadar, não tão cedo. O medo de água até aumentou.

A água que eu gosto mesmo é a da minha piscina salgada e a do meu chuveiro.

Meus netos gostam que eu lhes conte essas histórias de quando eu era criança. Divertem-se a valer. Acham engraçado quando eu lhes digo que eu era um menino bobo, gordinho, fraco e molenga. E que, por isso, tive que brigar muito para não apanhar o tempo todo. Digo-lhes que, brigando, pelo menos eu apanhava meio a meio.

Nunca tive avô para me contar historinhas... Que pena! Acho que perdi boas histórias...


.-.-.-.-.-.-.-.

segunda-feira, 23 de abril de 2012

CONVERSAR COM DEUS


Muitos adotam o pensamento de que Deus não existe.

Outros até admitem que Deus existe mas está em local inacessível e indiferente ao que acontece por aqui.

Outros aceitam a existência de Deus, de forma aborrecida, ou como se fizessem um favor pra Ele: “Tá bom! Deus Existe!”

Alguns gostam de ter um Deus a quem podem culpar pelos infortúnios ou situações indesejadas em que se encontrem.

Alguns aceitam a existência de Deus mas preferem manter uma certa distância Dele. Julgam que a intimidade de Deus está reservada para os santos ou para os que pretendem se tornar santos.

Entre os que creem, há os que têm medo de Deus. Esses pensam, repensam e concluem: Seja o que Deus quiser! Afinal, eu nem pedi para nascer...

Há os que acreditam que são filhos diletos de Deus: Os eleitos ou escolhidos. Esses já admitem que estão salvos! Se praticam o mal, pedem perdão e seguem em frente cantando, até ao próximo pecado e ao próximo perdão. Vida que segue.

Alguns vão à igreja e prestam o culto. Admitem que já fizeram a sua parte e que o resto é lá com Deus.

Deus não ama mais a um do que a outro. Não ama mais ao que está de joelho do que àquele que, altivo, pensa que nem precisa de Dele. A diferença está, apenas, em que um se dispôs para receber e o outro ainda segue alheio, indiferente, sem saber do que realmente precisa.

Poucos estabelecem uma relação efetiva com Deus.  Essa relação Pai-Filho que se expressa numa  fé tão consistente que é quase concreta. Uma oração, nesse contexto, já não é uma rogativa a um ser que está distante, mas uma conversa com o Deus que está ao lado, um pensamento que comunica, um cochicho ao ouvido de Deus.

Li um livro sobre a oração. Foi baseado numa pessoa, real, que não sabia orar e nesse não saber, começava a sua prece com a expressão: Ei, Deus!  A partir daí, desenvolvia uma conversa com Deus.

A fé é a coisa mais sublime que podemos almejar. Ela nasce de dentro para fora do ser e irradia para todo o universo. Ela é calmante e gratificante. Ela não humilha mas engrandece o ser.

A fé não traz Deus para o ser. Ela eleva o ser ao alcance das bênçãos de Deus.

Para que a sua oração não fique presa "nas nuvens", ou seja, nas densas energias que circundam  o nosso Planeta, permita que a sua fé o eleve pelo Universo e o coloque sob os raios luminosos de Jesus.

Eu gosto de ver e ouvir a oração de uma pessoa de fé. A gente sente que naquela prece não há discurso e nem palavras pomposas, mas sim a expressão pura do desejo e da esperança. Configura-se ali uma conversa reverente com Deus.

Nenhuma oração se perde.

Quando eu oro, não penso se a minha oração vai ser atendida ou não. Penso se é conveniente que ela seja atendida ou não. Só Deus sabe se estamos pedindo algo que é ou não adequado à missão que vim à Terra executar, em meu própio interesse de elevação espiritual.

Ao contrário da maioria, eu não gosto de ter um horário definido para fazer oração. Posso até estar errado, mas prefiro que a minha oração seja formulada a qualquer momento, ainda que seja apenas o direcionamento do pensamento para Deus e para os protetores espirituais.


"ORAI UNS PELOS OUTROS PARA QUE SAREIS, A ORAÇÃO DO JUSTO PODE MUITO EM SEUS EFEITOS" Tiago 5:16.


.-.-.-.-.-.-.-.

quarta-feira, 11 de abril de 2012

A QUEM AMA


PUBLICADO NO BLOG "ZERANDO O CARMA" de Lucius Augutus IN)
Link: http://zerandokarma.blogspot.com.br/2012/04/quem-ama.html


"A Quem Ama...

Você está bem ali, tão perto... E tão longe! A distância que nos separa parece não ter fim, ainda assim eu te vejo, te percebo, e sei que eventualmente você me nota. Mas isso ocorre tão rapidamente, pois você logo se volta para os seus pensamentos... Um mundo à parte.

Tão longe, tão perto... Quase posso te abraçar... Se ao menos você deixasse (se ao menos...eu...deixasse). Mas sei que você quer meu abraço. Não me escapa o que nos afasta... Dói... Como dói...

Porém, em uma fração de tempo pequenina – quase imperceptível – deixei-me envolver pelo mais precioso sentimento de união com o sagrado, um ato de entrega, e minha percepção se volta ao aconchego da esperança! Confio, confio!




Nossas diferenças não nos afastarão... Opiniões, ideias, percepções, crenças... Somos apenas aprendizes da vida... Aprendizes do Amor... Não há sentido em consumir um tempo que jamais voltará, e que por isso mesmo se mostra tão especial, em recolhimento para proteger o ego de opiniões contrárias; para proteger... O orgulho.

Não sou menor por abrir mão do que acho, para retirar do nosso caminho esse abismo! Não sou menor por preferir você a escolher minha opinião!

Não! Na realidade, agora me sinto maior... Antes, em um canto sem luz, com minhas ideias, a observar você, parecia que era seguro ficar ali... Protegendo o ego! Sinto-me forte! Não preciso mais sentir medo! Não me importo em abrir mão do que nos afasta. Sinto-me enorme, pois a liberdade do amor, e tão deliciosa... O coração calou a mente, agora a mente alia-se ao coração.

Unimo-nos! Não há mais distância entre nós. Ainda assim, sei que algumas voltarão a aparecer... Algumas delas nós não saberíamos como superar... Se Acreditássemos em distâncias. Eu te convidei, você aceitou. Assumimos que somos aprendizes do Amor... E vamos caminhar... Aprender... E quando a distância se apresentar, nos lembraremos bem: se a mente e o coração se unirem em favor da nossa harmonia e de nossa aliança, nós poderemos voar.

A todos que se amam: olhe-se com perdão... Seus olhos se acostumarão a ver com lentes de perdão.  Olhe-se com benevolência... Seus olhos se acostumarão a ver com lentes de generosidade e ternura. As pessoas, a humanidade nelas é que as faz divinas... Escolha o amor, escolha a união. 

Um fraterno e afetuoso abraço,
Lucius Augustus, IN"
http://zerandokarma.blogspot.com.br/2012/04/quem-ama.html



Obrigado Lucius por nos oferecer um texto tão lindo!
Euleir Eller.


.-.-.-.-.-.-.-.

terça-feira, 10 de abril de 2012

Sem Templos, Sem Dogmas, Sem Sacramentos


Alan Kardec reuniu, catalogou e codificou os conhecimentos que os Espíritos revelaram aos homens. Ele não criou nada, apenas codificou os conhecimentos revelados e, ainda assim, só acolheu as comunicações que foram dadas em diferentes lugares, através de diferentes médiuns, de sorte que um comunicado confirmasse o outro. 

Portanto, não há Doutrina de Alan Kardec. Há a Doutrina Espírita revelada por uma falange de Espíritos Superiores, mediante comunicações através de médiuns de todas as partes do Planeta.

Os ensinos assim coletados foram divulgados sem o propósito de formar uma nova religião.

Passados mais de 150 anos e o Espiritismo marcha como um conjunto de conhecimentos para o homem e para toda a humanidade, independente de crenças e Religiões.

Sem proselitismo, sem templos, sem dogmas, sem sacramentos e sem hierarquia dirigente, o Espiritismo se apresenta ao homem como o complemento dos ensinamentos do Mestre Jesus.

O ensino dos Espíritos está focado no ser individual, ou seja, no progresso do Espírito e isso não pode estar cincunscrito a uma crença. 

Por isso o Espiritismo não nasceu como uma religião e nem deve se tornar em mais uma.




.-.-.-.-.-.-.-.





segunda-feira, 9 de abril de 2012

Espiritismo é Aprendizado. Espiritismo é Cultura.




Ninguém precisa se tornar espírita para alcançar os benefícios do crescimento espiritual - aqui na Terra ou no Plano Espiritual. 

Espíritas não colhem privilégios após a morte além dos que houverem merecido por suas vidas já vividas, na prática do bem.

Qualquer religião conduz o homem ao seu melhoramento íntimo. Qualquer religião incita o seu fiel à prática do bem, ao amor ao próximo e ao exercício da caridade e do perdão.

Por isso que se diz que o Espiritismo não é uma religião. Ele é um conjunto de conhecimentos espirituais aplicáveis a toda e qualquer religião que queira aceitar os ensinamentos de Jesus, postergados para revelação futura, em momento mais propício que os palcos da Galiléia.

O que foi revelado e que passou a chamar-se “Doutrina Espírita” está contido em livros largamente difundidos e já ao alcance de qualquer pessoa. Ninguém nem precisa ir ao Centro Espírita para ter acesso a essas revelações e, assim, adquirir os conhecimentos espirituais do “Mundo dos Espíritos”.

Espiritismo é aprendizado.

Espiritismo é cultura.

Quem buscar o conhecimento espírita  nele não encontrará lições de ocultismo, bruxarias, feitiços e mandingas, mágicas para uma vida fácil ou maneiras para contornar dificuldades e sofrimentos,  aspectos esses fundados no misticismo e tão realçados pelo folclore nas histórias que usam o medo e o pavor na indústria do entretenimento.

Encontrará um mundo novo ou uma nova maneira de ver o mundo e compreender a realidade espiritual do ser que, ora encarnado na forma humana, ora despido do corpo físico, estará sempre caminhando para a perfeição, caminhando sempre para o seu Criador.

Encontrará Jesus! 

Encontrará Deus! 

Encontrará falanges de anjos e protetores que estarão aptos a ajudar, proteger e orientar a todos nós que estamos na senda do aprendizado e da ascensão espiritual.

Cabe aqui um esclarecimento:

Sim! Há espíritos que ainda se encontram na ignorância e longe da Luz, aos quais se lhes apraz praticar o mal e induzir os homens ao erro. Fazem-no por pura maldade, por vingança ou pelo simples prazer de zombar daqueles que lhes permitem a proximidade.  Entretanto, não há seres criados para o mal e nem lugares para sua fixação eterna. Os que se encontram nessa situação são os mesmos filhos de Deus que precisam de ser esclarecidos e reconduzidos à prática do bem. Ou seja, não existem demônios ou penas eternas.  Se para o mal estivessem eternamente condenados, Deus o saberia de antemão e não os teria criado.

A lógica e a razão foram dadas ao homem para o próprio discernimento, em todas as situações.


.-.-.-.-.-.-.-.

domingo, 8 de abril de 2012

Consolando os "Mortos"



O Espiritismo é a única fonte de consolo para os que partiram e já não estão "vivos" entre nós.


As religiões:


Mostram um caminho que se encerra com a morte do corpo físico. O Espírito que se libertou estará, a partir daquele momento, sem opções de promover uma reforma íntima e de praticar atos para alcançar um destino de felicidade. 

Não importa se viveram apenas quinze, dezoito ou vinte anos e nem quanto adquiriram de discernimento e sabedoria, estarão em igual condição com os que viveram 80, 90 ou 100 anos, estes com toda a oportunidade de aprendizado e de exercer o seu livre arbítrio para o bem ou para mal, segundo os seus próprios interesses. Uns viveram toda uma vida terrestre, outros apenas se apresentaram na face do Planeta.


O Espiritismo:


Acolhe os sofredores espirituais, orienta-os, ameniza os seus sofrimentos e doutrina-os quanto à realidade da vida - espiritual e terrena - levando-lhes a esperança. Muitos não sabem sequer se estão "vivos ou mortos". Jovens ou velhos, muitos retornam ao mundo espiritual sem nenhum aprendizado e, muitas vezes, em sofrimento ou habitando regiões hostis.


Para estes que se apresentam lá desorientados e que não aceitam essa nova realidade, restou apenas o Espiritismo que lhes pode socorrer e que se lhes apresenta como uma janela Luz, no meio da escuridão.


Mostra-lhes que estão vivos e que a vida nunca cessa. Mostra-lhes que terão todas as oportunidades de mudar a realidade a que estão, momentaneamente, submetidos.

Fala-lhes de Jesus e do amor de Deus que irá alcançá-los sempre, estejam onde estiverem, para lhes dar a oportunidade de reencontrarem o caminho para a Luz e a Felicidade.

O trabalho de "Doutrinação", realizado em todos os Centros Espíritas, é a uma verdadeira ponte de luz que penetra no meio das trevas para resgatar espíritos sofredores e encaminhá-los para um caminho de Luz, sob a misericórdia de Deus e com o auxílio das Falanges Espirituais que se colocam ao serviço do Mestre Jesus.

É a Luz de Jesus alcançando o Espírito perdido nas trevas.


-------------


Não existe o "céu" de sentar no colo de Jesus e ficar tocando harpa junto com os anjos.

Existe aprendizado sempre, caminhar sempre e crescer sempre, em estatura espiritual para, lá na frente, nas eras da eternidade, nos tornarmos os Anjos de Deus, que dirigem os mundos e a humanidade, assim realizando os propósitos do Senhor, em todo o Universo.

"Quem passou pela vida em brancas nuvens" terá que retornar para refazer a caminhada e recuperar o tempo perdido.

Quem, ao contrário, construiu negras nuvens na sua passagem, terá que retornar e colher as tempestades que semeou para, então, retomar a caminhada e recuperar o tempo perdido.


Que a Luz de Jesus ilumine a nossa caminhada! Agora e nas futuras vidas que a misericórdia de Deus nos dará.


Amém.


.-.-.-.-.-.-.-.