Quem sou eu

Minha foto
Eusébio, CE, Brazil
Espírita - Brasil

sábado, 30 de abril de 2011

A FACE DE DEUS ATRAVÉS DOS TEMPOS


Ninguém viu a Deus.

Hoje vamos falar sobre os diversos matizes como Deus é mostrado aos homens, através dos tempos, segundo as nossas raízes religiosas.


Eis a face de Deus, como apresentada no Velho Testamento:

v  Um Deus terrível, ciumento, vingativo, cruel;
v  Um Deus implacável: “olho por olho, dente por dente”;
v  Um Deus que determina o massacre e o extermínio dos povos, inclusive mulheres, crianças e velhos;
v  Um Deus que pune aqueles que poupam suas vítimas;
v  Um Deus que pune todo o povo pela falta do seu chefe;
v  Um Deus que fere os filhos pelas faltas dos pais;
v  Um Deus que tinha um povo escolhido;
v  Um Deus que presidia e sustentava os combates do seu povo contra os outros povos.


Eis a face de Deus, como nos apresentou JESUS:

v  Um Deus clemente;
v  Um Deus justo e bom;
v  Um Deus manso e misericordioso;
v  Um Deus que perdoa o pecador arrependido;
v  Um Deus que dá a cada um segundo as suas obras;
v  Um Deus que exalta o amor – Amai a Deus sobre todas as coisas e ao próximo a ti mesmo.

Eis a face de Deus, como nos apresenta a Doutrina Espírita, revelada para complementar os ensinamentos de Jesus:

v  Um Deus que é o Pai comum de toda a humanidade;
v  Um Deus que está sempre ao alcance de todos os seus filhos;
v  Um Deus que não pune, mas consente o sofrimento como forma de aprendizado;
v  Um Deus que não destinou nenhum filho ao sofrimento eterno;
v  Um Deus que vai reunir todos os seus filhos no seu reino de amor e felicidade;
v  Um Deus que dá a todos as múltiplas etapas de vidas, necessárias ao completo aprendizado e evolução;
v  Um Deus que dá e respeita o livre arbítrio de cada ser;
v  Um Deus que admite os erros e falhas do homem – espírito encarnado – e aguarda o seu arrependimento;
v  Um Deus que não se ofende com erros e falhas dos seus filhos;
v  Um Deus que impõe o amor e o perdão entre as pessoas para o crescimento espiritual;
v  Um Deus que não quer ser temido e, sim, amado.


Deus é Espírito. É único. É eterno. É imaterial. É imutável. É onisciente. É onipotente. É onipresente. É a suprema inteligência do universo e fonte primária de todas as coisas.

O Espiritismo entende que é impossível definir Deus. Apresenta-o pelos seus atributos, apenas, para efeitos didáticos.

Deus é amor


.-.-.-.-.-.-.-.

sexta-feira, 29 de abril de 2011

ORAÇÃO DO "PAI NOSSO"


JESUS:

Quando orares, entra no teu aposento e, fechando a tua porta, ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará.

Vós orareis assim:



Pai nosso, que estás nos céus,

Santificado seja o teu nome;

Venha o teu reino,

Seja feita a tua vontade,

Assim na terra como no céu;

O pão nosso de cada dia nos dá hoje;

Perdoa-nos as nossas dívidas,

Assim como nós perdoamos aos nossos devedores;

E não nos induzas à tentação;

Mas livra-nos do mal.

Porque teu é o reino, e o poder, e a glória,

Para sempre.

Amém.




.-.-.-.-.-.-.-.



quinta-feira, 28 de abril de 2011

CAMINHA


"CAMINHA 


Coragem!
O caminho é longo
Mas necessário.

Ânimo!
Existe um universo todo,
Ao qual estás ligado,
Recebendo energias e vibrações
Pelo teu sucesso.

Confiança!
O amor supremo te criou
Para amar e progredir.

Firmeza!
A tua evolução depende
Da tua vontade.

Compreensão!
Tens todos os instrumentos
De que necessitas.
Só é preciso saber usá-los.

E sobretudo fé!
És imortal!"


Fonte: Poesia - SEGRAV



.-.-.-.-.-.-.-.

PARA REFLEXÃO

Do Blog: Andança Espírita

 "..................................................
Por isso, peço a todos. Se eximam de julgamentos, mesmo que não compreendam os sábios espíritos que ocupam tarefas missionárias e sacrificiais para as quais são capacitados e foram preparados, nos vastos ambientes da caridade e do sacrifício. Obviamente que suas observações devem estar embasadas no bom-senso. Mas mesmo este termômetro modifica-se com o tempo, conforme vamos adquirindo sabedoria e amadurecimento. Confiem em Deus, confiem em Suas diretrizes, confiem com o coração aberto nos Mestres que Deus lhes envia para o vosso crescimento. Aprendam a reconhecer a Luz destes enviados!

Muitos são os conceitos distorcidos em relação á Bondade, ao Amor, à Docilidade, à Candura ou mesmo à Santidade. O ser humano, com sua ignorância imensa, taxou determinadas atitudes de “boas” ou “más” de acordo com sua pequena capacidade de entendimento. Ampliem o horizonte de vossas mentes, tendo como bússola o coração! Se este está fechado, estarão sem rumo, sem direção, perdidos no mar escuro das trevas existenciais de sua própria psique, e das demais que constroem este orbe negro. Não parem, não estacionem em local cômodo, pois nada é seguro e inquebrantável se não estiver alicerçado no amor. Dinheiro, trabalho, posições, compromissos, tudo é transitório e mutável, assim como é impermanente a Vida. A segurança verdadeira que podemos adquirir está dentro de nós. A liberdade verdadeira que almejamos conquistar está dentro de nós. O respeito e a amizade que desejamos obter começam com a edificação da solidariedade dentro de nós. O amor e o carinho que almejamos receber estão também inclusos na Grande Lei. Apenas ofertando-os, receberemos. Porém, não se pode dar o que não se tem. Mesmo o Amor precisa ser edificado em vossos corações, de forma que vossas palavras, vossas ações, vossas correlações, sejam emanadas com Verdade.

E é isso que Jesus nos fala. Sempre e sempre. Como ouvir e absorver seus ensinamentos se os corações estão trancados? Apenas por esta porta podem ser absorvidas Suas lições! A porta da mente é larga, porém limitada para a amplidão de tão grandes sentimentos. Somente pelas portas do coração podem ser absorvidos os Seus ensinamentos que lhes darão segurança e liberdade, conforto e serenidade, pacificação e tolerância.

Paz! Que a Paz reine entre vós! Em seus estudos doutrinários, ouçam com o coração aberto e a mente atenta. Em seus trabalhos mediúnicos, laborem com a Vontade firme em comunhão com a Mente e o Coração, como bons irmãos que se complementam na jornada de edificação da individualidade. Sejam bons! Bons! Bons! Não mascarem críticas ácidas com falsa bondade. Seu irmão, seu colega, seu amigo, é tão falho quanto tu mesmo. Que galardão moral possuem vós para julgar e condenar quem quer que seja? Mormente os que estão aí, ao vosso lado, para guiá-los com exatidão, com competência e com amor incompreendido!


Que Jesus tenha piedade de todos vós! De todos vós!

Perdoem-me a sinceridade, mas tão maus são ainda os corações de alguns médiuns em nossa Seara! Como podem permanecer com tanta maldade, depois de tantos ensinamentos, de tanta bondade e amor ofertados a vocês? Como podem ainda serem tão maus, tão ingratos, tão injustos, tão indignos? Pai, como podem?! Fico triste, extremamente triste, cada vez que recolho um pensamento indigno, uma fala maldosa a respeito de um irmão que lhes quer tão bem! Revivo hoje, no convívio com alguns importantes grupos mediúnicos os quais auxilio, a mesma tristeza que senti ao conviver no guiamento de Meu Mestre. Como podem ser tão cegos, tão imaturos? Como podem lançar à lama tão abençoada oportunidade de regeneração? Como podem?!! Infelizmente, vejo-os hoje repetindo as mesmas atitudes que outrora muitos de vós, encarnados naquela época, possuíram frente à figura do Mestre, quando o tinham como louco, sádico, bruxo, mendigo, fanático, lascivo. Quanta injustiça pode ainda caber no coração de cada um de vós?! Coloquem as mãos em vossas consciências, sintam o seu peso! Já não basta??! Quanto mais terão que sofrer até que aprendam? Pergunto-vos novamente: já não basta?! Já não basta?! Quantas oportunidades mais dispensarão para que atinjam vossa salvação?

Filhos, acordem!!! Acordem! Por Deus, despertem! Observem-se no espelho da Verdade! Observem quanto sujeira, quantas impurezas ainda trazem e continuam lançando sobre os demais! Sim, é mais fácil apagar a Luz lançando-lhe lama, porque a Luz que vem de fora projeta vossas sombras! E vossa sombra é o monstro que se recusam a enxergar! Não querem enxergar vossa monstruosidade, mas ela é clara, se irradia escancaradamente de vossas palavras e ações! Cada pensamento, cada palavra, cada atitude menos digna revela vossa perversidade e monstruosidade que permanecem incólumes por detrás da máscara de “bonzinhos”. Retirem vossas máscaras! Não vos peço santificação absoluta e imediata! Não, isso não é possível! Peço-lhes esforço fidedigno. Peço-lhes abertura de vossos corações. Peço-lhes mudanças verdadeiras. Definitivamente, parem de se lamuriar! Tendes muito menos sofrimento nesta vida do que realmente merecem! Agradeçam e agradeçam sempre, porque Deus enxerga em vós, ingratos e injustos, algo que eu, ainda em minha ignorância - apesar de muito mais evoluído que vós - não consigo enxergar! Desculpem-me! Desculpem minha sinceridade! Perdoem-me novamente! Perdoe Pai, minha ignorância e meu desabafo, mas não posso mais calar-me, e acho mesmo que não devo. No entanto, confio tanto em Deus que permaneço leal e amoroso, amigo e companheiro, no convívio com muitos de vós, que no meu pequeno entender, não merecem minha companhia, meu esforço, minha dedicação e meu amparo. Mas, reconheço que além e acima de mim estão os mais sábios, e submeto-me à Vontade Maior, humilhando-me e servindo-os, sempre e sempre. Sou grato por este momento de aprendizado único! Sou grato a vós, por me ajudarem a lapidar minhas dificuldades. Obrigado!

Apenas peço ao Pai que os ajudem! Como precisam de ajuda! Como precisam! Espero que, ao menos desta vez, em que vosso orbe atravessa o momento derradeiro de mudança e ascensão, na figura de medianeiros, possam agarrar com força a nova oportunidade que obtiveram, reerguendo-vos novamente à Luz. Reergam-se! Calem o mal de vossos corações com todo o bem que possam ofertar! Abram os ouvidos do coração às sabias lições que vos são ofertadas! Esforcem-se! Doem-se, doem-se!

Pelo Amor de Jesus, despeço-me de todos vós.

Do espírito amigo e protetor.

Josué

Nova Friburgo, 22 de Abril de 2011"
Pelo Espírito: Josué
Médium: Cristina Lessa Cereja (Fundadora e Diretora da Casa de Assistência Mãos de Luz)

terça-feira, 26 de abril de 2011

DIETA DE URGÊNCIA



(Dieta para emagrecer)


Considerem essa matéria como uma “brincadeira”. Não sou médico e não entendo nada de dietas para emagrecer. Quem quiser utilizar, faça-o por sua conta e risco.

Essa dieta é para ser aplicada por 13 dias e, se seguida fielmente, possibilita emagrecer de 7 a 12 quilos. Eu a recebi com o nome de “Dieta dos 13 dias”.

É uma dieta “braba” mas que dá resultado. Eu a fiz e emagreci. No entanto, como toda dieta radical, após o término, é fácil retornar ao peso antigo se não houver moderação alimentar. 

É um achado para quem precisa emagrecer rapidamente para ir a uma festa – formatura, casamento, etc.

SEGUNDA-FEIRA
Café da manhã:      Café ou chá c/adoçante, um biscoito “água e sal”
Almoço:                 Dois ovos cozidos, com sal, e verduras
Jantar:                   Um bife grande, salada de alface e pepino.

TERÇA-FEIRA
Café da manhã:     Café ou chá c/adoçante, um biscoito “água e sal”
Almoço:                Um bife grande, frutas e verduras, a vontade
Jantar:                  Presunto.

QUARTA-FEIRA
Café da manhã:     Café ou chá c/adoçante, um biscoito “água e sal”
Almoço:                Dois ovos cozidos, c/sal, salada e tomate
Jantar:                  Presunto, salada: Repolho, cenoura e chuchu.

QUINTA-FEIRA
Café da manhã:   Café ou chá c/adoçante, um biscoito “água e sal”
Almoço:              Um ovo, cenoura crua/ralada, uma fatia de queijo
Jantar:                Salada de frutas a vontade, iogurte.

SEXTA-FEIRA
Café da manhã:   Café ou chá c/adoçante, um biscoito “água e sal”
Almoço:              Filé de peixe frito, tomate, a vontade.
Jantar:                Um bife grande, salada de frutas, a vontade.

SÁBADO
Café da manhã:  Café ou chá c/adoçante, um biscoito “água e sal”
Almoço:              Frango assado, a vontade
Jantar:               Dois ovos cozidos, com sal.

DOMINGO
Café da manhã:  Café ou chá c/adoçante, um biscoito “água e sal”
Almoço:             Um bife grande, frutas a vontade
Jantar:               COMER O QUE QUISER.

REPETIR O CARDÁPIO DE SEGUNDA A SÁBADO.


.-.-.-.-.-.-.-.



segunda-feira, 25 de abril de 2011

A ALMA ANELA PELO CRIADOR



Por que estás abatida, ó minha alma?
Por que te perturbas, dentro de mim?
Espera em Deus, pois ainda o louvarei.


Como suspira a corsa pelas correntes de água,
Assim, por ti, ó Deus, suspira a minha alma.

A minha alma tem sede de Deus, 
do Deus vivo.

Ainda, inimigos me perguntam:
O teu Deus, onde está?

Oh! Quando irei e me verei
Perante a glória do meu Deus?

Por que estás abatida, ó minha alma?
Por que te perturbas, dentro de mim?
Espera em Deus, pois ainda o louvarei.

Um abismo chama outro abismo,
Todas as ondas e vagas passaram sobre mim,

Contudo o Senhor, dia e noite,
Me concede a sua misericórdia.

Por que estás abatida, ó minha alma?
Por que te perturbas, dentro de mim?
Espera em Deus, pois ainda o louvarei,

A Ele, meu auxílio e Deus meu.


(Texto baseado no Salmo 42)



.-.-.-.-.-.-.-.

domingo, 17 de abril de 2011

UMA FESTA NO CÉU


Voltar pra casa é muito bom. Encontrar a família reunida para as boas-vindas é melhor ainda. Trazer os bons resultados obtidos na viagem é uma consagração. Ser recebido com festa é tudo de bom.

Agora imagine essa reunião no mundo espiritual, poderíamos dizer que haveria uma festa no "céu". Gosto de colocar algumas palavras entre aspas para significar que há mais de um sentido para o seu significado. No caso, céu, como acima referido, não é apenas um lugar, mas muito lugares, no plano astral, onde estarão reunidos os bons espíritos que já iniciaram a sua ascensão espiritual.

Mas a festa de que falava, no céu, é uma realidade, sempre que retorna ao lar, ao seio da sua família espiritual, o Espírito que dali partiu para uma vida física no nosso Planeta Terra, para onde veio em busca do aprendizado e das experiências, necessários para a sua próprio crescimento espiritual.

Eis que se formam dois quadros que, aparentemente, se contradizem e que configuram um contraste. Tristezas para uns e alegrias para outros:

No "céu":

Festa de cores, sons e luz.  Está de volta o ser tão querido, que retorna após cumprir, com méritos, mais uma etapa nos caminhos que conduzem à felicidade e à plena realização do Espírito. Na bagagem, ela já traz as melhores virtudes - as vitórias conquistadas - e uma parcela dos seus débitos resgatados.

Na Terra:

Tristeza e sofrimento daqueles que aqui permanecem e que sofrem a compulsiva separação do ser que amam.


Os que sofrem na Terra, esquecidos do breve reencontro no lar celeste, chegam a duvidar da justiça divina, principalmente, se o ser que daqui partiu não chegou a obter uma existência de muitos anos. Às vezes fica a impressão de que uma vida foi encerrada prematuramente.

Entretanto, não existe o acaso. Tudo se enfeixa na sabedoria e na justiça de Deus. A vida na terra não obedece a um “script” pré-definido, posto que está sujeita ao livre arbítrio do ser encarnado quanto às próprias decisões. Está, no entanto, condicionada a um período já definido, salvo se interrompida pela própria iniciativa daquele que vive.


Dissemos a pouco que havia uma festa no céu pela volta do ser querido ao seio de sua família espiritual. Essa festa, no entanto, é bom que se frise, só ocorrerá quando houver o que comemorar. Pode haver um retorno e nenhuma festa, por falta das vitórias e progressos que o Espírito veio aqui conquistar.

No entanto, o ser que volta ao lar será sempre recebido com amor e compreensão, ainda que diante da falta das vitórias buscadas nessa última encarnação.

Entre os espíritos mais elevados, ninguém julga ninguém.

O único julgamento a que está sujeito o espírito é o da sua própria consciência.

Não é a mesma coisa para os espíritos com pouco ou nenhum desenvolvimento. Estes se acusam mutuamente e procuram realçar a os pontos falhos e as falências uns dos outros. Muitos se especializam em potencializar o sofrimento dos próprios companheiros de infortúnio, realçando seus erros e culpas.

Aos que partiram de nosso meio devemos endereçar nossas melhores energias de amor e de paz, agradecendo-lhes por suas "vidas" entre nós, sendo partes de nossas vidas como pais, filhos, irmãos ou companheiros apenas.

Nossas tristezas ou revoltas causam maior sofrimento aos que partiram.

Melhor quando podemos admitir – segundo o merecimento - que o nosso ente querido não passou por aqui em vão. Quando temos consciência de que ele deu o melhor de si, espalhando e recebendo muito amor. Assim, admitimos que ele partiu para uma vida mais feliz, onde a alegria será constante e a felicidade um estado permanente.


Já é muito bom sabermos que temos uma grande família espiritual - dela saímos e para ela voltaremos. No seio dessa família, as vitórias serão comemoradas e os fracassos compreendidos e consolados.

Da sabedoria chinesa nos vem o provérbio:

“Ao nascer todos sorriam e só você chorava... Viva de forma que, ao morrer, todos chorem e só você sorria”



.-.-.-.-.-.-.-.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

ORIGEN Y NATURALEZA DE LOS ESPÍRITUS


¿Qué definición puede darse de los espíritus?

«Puede decirse que los espíritus son los seres inteligentes de la creación. Pueblan el universo fuera del mundo material».

¿Los espíritus son seres distintos de la Divinidad, o sólo emanaciones o porciones de la Divinidad, llamados por esta razón hijos de Dios?

«Son obra suya, lo mismo que cuando un hombre hace una máquina; ésta es la obra de aquél, pero no él mismo. Ya sabes que cuando alguien hace alguna cosa bella y útil, la llama su hija, su creación. Pues lo mismo Dios, y somos sus hijos, porque somos obra suya».

¿Tienen principio los espíritus, o son eternos como Dios?

«Si no tuviesen principio, serían iguales a Dios, siendo así que son creación suya y están sometidos a su voluntad. Es incontestable que Dios es eterno; pero nada sabemos de cuándo y cómo nos creó, y puedes decir que no tenemos principio, si entiendes dar a comprender que, siendo eterno Dios, ha creado sin interrupción; pero, respecto del cuándo y cómo fuimos creados, te repito, que nadie lo sabe. pues este es un misterio».

Puesto que hay dos elementos generales en el universo, el inteligente y el material, ¿podría decirse que los espíritus están formados del primero, como los cuerpos inertes lo están del segundo?

«Es evidente que los espíritus son la individualización del principio inteligente, como los cuerpos son la del principio material, y lo desconocido es la época de su formación y el modo de realizarse».

¿Es permanente la creación de los espíritus, o sólo tuvo lugar en el origen de los tiempos?

«Es permanente, de manera, que Dios nunca cesa de crear».

¿Se forman espontáneamente los espíritus, o proceden unos de otros?

«Dios por su voluntad los crea como a todas las otras cosas; pero, te lo repetimos outra vez, su origen es un misterio».

¿Es exacto decir que los espíritus son inmateriales?

«¿Cómo podrá definirse una cosa, siendo insuficiente el lenguaje y faltando términos de comparación? ¿Puede un ciego de nacimiento definir la luz? Inmaterial no es la palabra. Y sería más exacto decir incorporal; porque debes comprender perfectamente que siendo una creación el espíritu, ha de ser algo, y es, en efecto, materia purificada; pero no tiene análoga entre vosotros, siendo, además, tan etérea, que no puede impresionar vuestros sentidos».

¿Tienen fin los espíritus? Se comprende que sea eterno el principio de donde emana; pero lo que preguntamos es si tiene un término su individualidad, y si en una época más o menos remota, no se disemina y vuelve a la masa común el elemento de que están formados, como sucede en los cuerpos materiales. Es difícil comprender que una cosa que tieneprincipio pueda no tener fin.

«Muchas cosas existen que vosotros no comprendéis; porque vuestra inteligencia es limitada, no siendo ésta razón para rechazarlas. El niño no comprende todo lo que su padre comprende, ni el ignorante todo lo que el sabio. Te decimos, pues, y es cuanto por ahora podemos decirte, que los espíritus no tienen fin».


Fuente: El Libro de Los Espíritus – Allan Kardec
(Respuestas de los Espíritos - Preguntas hechas por A.K)







.-.-.-.-.-.-.-.

terça-feira, 12 de abril de 2011

HABEAS-CORPUS


Os que habitam hoje o mundo espiritual são os mesmos homens que, ontem, viviam entre nós e conosco se relacionavam.

Quem morre não vira santo. Não se torna bom e, também, não se torna mau.  Não fica nem mais e nem menos inteligente do que o era por aqui.

Livre do corpo, o espírito retoma a sua liberdade de ir e vir. Recebe, literalmente, um verdadeiro “habeas corpus”. 

Essa liberdade estará, todavia, condicionada ao seu grau de evolução, quanto ao direito de ir a todos os lugares espirituais, ou seja, no plano astral. Não poderá ascender aos planos espirituais mais elevados se não atingiu o grau de vibração daqueles ambientes. Além do mais, o seu estado mental de culpa ou remorso poderá retê-lo em regiões de tristeza e sofrimento.

O conhecimento do mundo dos espíritos e da vida que ali se desenvolve induz o homem à prática das virtudes sobre a terra, sabedor de que este será o seu passaporte para a vida futura após deixar o corpo terrestre.

Entre as virtudes possíveis, o espiritismo ressalta a caridade como a pedra fundamental no edifício que constitui a evolução do espírito. Na visão espírita, a caridade deve ser exercida entre os homens, entre os espíritos e entre os homens e os espíritos.

É confortante saber que o espírito não regride nunca, em sua evolução. A vida continua no plano astral com o mesmo grau de conhecimentos, virtudes ou falta deles, de quando o espírito viveu sobre a terra.

Daí decorre que um Espírito pode estar tão necessitado de assistência espiritual, no plano astral, como o estava quando vivia em corpo humano sobre a terra. Mas poderá ser assistido pelos Guias Espirituais e pelos Espíritos encarnados e vivos sobre a Terra, se tiver ingressado em fase de sofrimento e confusão espiritual, após a morte física.

A confusão mental do "após a morte física" pode haver sido agravada pela possibilidade de o Espírito que retorna ao plano astral, haver sido  “sugado” para locais de sofrimento, para onde o atraiu a afinidade com o "mal", já cultivada sobre o nosso planeta.

Há muita sabedoria nos nossos velhos ditados populares:

"Junte-se aos bons e serás um deles.
A semeadura é livre mas a colheita é obrigatória.
Quem semeia vento colhe tempestades."


.-.-.-.-.-.-.-.