Quem sou eu

Minha foto
Eusébio, CE, Brazil
Espírita - Brasil

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

VERDADES ESPIRITUAIS - MEDO DE QUÊ?

VERDADES ESPIRITUAIS

A verdade deve ser parte obrigatória da doutrina de qualquer religião. Se uma verdade foi trazida à luz, pelo conhecimento ou pela revelação, ela deve ser incorporada ao patrimônio da doutrina religiosa, sob pena de a religião transformar-se em fanatismo descompromissado com ensinos verdadeiros.

É por esse ângulo que eu penso que as religiões deveriam ser moldadas no dia-a-dia da ciência, da lógica e do novo conhecimento espiritual revelado.

Não deve haver conflito entre religião e ciência. Não há lógica em negarem-se mutuamente. Todos os conhecimentos devem se somar para mais se aproximarem da verdade total.

Qual a vantagem para o progresso humano em manter-se conceitos estáticos se o mundo todo é EVOLUÇÃO?  Tudo evolui. Tudo se transforma. Vida é transformação. E, nesse passo, conhecimento é transformação.  O que ontem foi tomado como verdade, hoje já não se o admite como tal.

As próprias religiões cristãs foram criadas numa época em que a TERRA era tida como centro do universo e obra prima do Criador. O conhecimento se multiplicou por milhões de vezes e qualquer criança sabe hoje que não é assim.

Se sabemos de seres humanos que viveram há 30.000 anos, por que aferrar-se à ideia de Adão e Eva como primeiros seres humanos, os quais viveram há 6.000 anos, apenas?

Se os dinossauros foram extintos há milhões de anos... por que as religiões insistem no tema da criação dos mesmos, nos mesmos tempos de Adão...

Mais lúcido seria reformar os códigos religiosos para adequá-los à ciência e à lógica, no que for pertinente.

Jesus esteve conosco há 2.000 anos. Ele afirmou que teria muito para ensinar e que não poderia faze-lo, naquela época, porque a humanidade não estava preparada. Isso posto, cabe a pergunta: Por que as religiões continuam com os mesmos fundamentos-ensinos da época em a humanidade não estava preparada? Por que as religiões não incorporam às suas doutrinas os novos conhecimentos espirituais? Que interesse há em omiti-los e até em combate-los?

De que as religiões têm medo?

A Doutrina Espírita não veio ao mundo para criar nova religião. Ela veio para esclarecer e complementar os ensinos de Jesus.  Ela, apenas,   rasga o véu dos mistérios a todos mostrando o Mundo Espiritual em sua realidade eterna, onde vivem todos os espíritos.

O espiritismo lança luzes sobre o que ocorre após a passagem pelo túmulo terrestre. Apenas isso!


.-.-.-.-.-.-.-.

sábado, 5 de dezembro de 2015

QUANTAS VEZES DEUS PERDOA?

QUANTAS VEZES DEUS PERDOA?

Quantas vezes devo perdoar ao irmão que me ofendeu, sete vezes, como está escrito na Lei de Moisés? Pedro perguntou a Jesus. O Mestre lhe respondeu: Não apenas sete vezes, mas setenta vezes sete.

A expressão matemática - 70 x 7 – não é limitante mais significativa de que o perdão deve ser ilimitado, ou seja, quantas vezes forem necessárias.

Quantas vezes perdoaria Deus aos homens? Os espíritos nos ensinam que Deus perdoará sempre.  Contrariamente ao que ensinam as religiões, o espiritismo afirma que Deus perdoará sempre o pecador.

Deus não condena o pecador, mas todo espírito está sujeito ao resgate dos seus débitos. Reencarnará em nova vida sobre a Terra para resgatar erros passados e, ao mesmo tempo, promover sua reforma íntima como requisito para ascender espiritualmente.

Mas como ficam o "inferno e o purgatório", das religiões, no curso dessa história?

Inferno e purgatório são estados mentais de sofrimento temporário. No espiritismo esses locais são chamados de UMBRAL. São descritos como locais destituídos de qualquer tipo de alegria e paz e onde o espírito tem diante de si todo o mal que causou. Ali culpados punem culpados e há os que encontram prazer nessa dominação. 

Esse sofrimento terá a duração do tempo necessário para que o espírito compreenda a sua realidade e, arrependido, rogar por socorro divino. Emissários de Deus o recolherão desses lugares sombrios e o conduzirão às colônias espirituais onde será curado das enfermidades. Em momento oportuno, receberá a bênção da reencarnação, nas condições compatíveis com a sua necessidade de aprendizado e com o seu programa de resgates.


O mesmo espírito com novo corpo, novo nome e sem nenhuma lembrança das suas vidas passadas recomeçará nova vida na Terra. 

Deus perdoará sempre, mas todo Espírito deve colher o que plantou na seara onde semeou.


.-.-.-.-.-.-.-.