Quem sou eu

Minha foto
Eusébio, CE, Brazil
Espírita - Brasil

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

VIVENDO ESPIRITISMO


VIVENDO ESPIRITISMO – Zé Maria


Em mais de vinte anos  de convivência eu e o Zé Maria compartilhamos, apenas, uns cinco anos de atividade espírita. Nesse período, sendo ambos aposentados, era habitual nos acomodarmos na varanda da minha casa da Praia de Atafona, gastando a tarde em longos papos sobre a Doutrina Espírita, em que ambos iniciávamos. Trocávamos livros e impressões.


Toda pessoa espírita costuma ser uma referência entre os amigos e conhecidos, sempre que se faz necessário um aconselhamento ou uma prece. O Zé Maria, entretanto, nesse particular, poderia ser classificado como um “médium ambulante” tal o número de pessoas que o procuravam para pedir um passe ou uma prece, em qualquer lugar que o vissem.


"Eu nunca vou negar um passe", me respondia,  quando eu lhe falava  que deveria atender, apenas, em lugares previamente preparados para isso. Era uma decisão irreversível e é assim até hoje, sendo que, agora, a idade lhe impõe permanecer mais tempo em sua casa.

Essa convivência diária e o fato de todos saberem que o Zé Maria estaria à tarde, lá em casa, levou a a que estivéssemos juntos em muitos atendimentos de orações, passes e aconselhamentos espirituais.


Esses atendimentos eventuais se tornaram tão frequentes que optamos por reservar um cômodo somente para fazer as preces e aplicar passes. Sem nenhuma programação prévia, atendíamos as pessoas que ali compareciam. Simplesmente acontecia. Aos sábados e domingos era grande o número de pessoas que pediam atendimento.

Quantas vezes, sentados na varanda, sentindo a brisa vinda da praia, o Zé Maria se punha em alerta: Sorrisos curtos e lágrimas furtivas eram sinais da sua mediunidade aflorando. Ele logo dizia no seu jeito simples: "Prepara que aí vem bomba. É coisa pesada...”.

Sem precisar esperar pelos acontecimentos já íamos preparando o ambiente para a oração: Sobre a mesa uma toalha branca, uma jarra de água, algumas flores, folhas de plantas e uma Bíblia. O preparo incluía borrifar o ambiente com alguma essência floral e deixar ao alcance o álcool para higiene das mãos. Era habitual lermos alguns salmos e orações enquanto aguardávamos a chegada das pessoas, quase sempre, já percebidas pela intuição.

Em alguns dias o Zé Maria chegava cedo e me chamava para um mergulho no mar porque, dizia, "hoje o bicho vai pegar". E lá íamos nós mergulhar nas águas do mar deixando as ondas passarem sobre as nossas cabeças para melhor captarmos suas energias.

Eu moro agora em Fortaleza e o Zé Maria continua residindo em S.J.da Barra, cidade que adotou para viver. Atende ainda em sua casa, todos os dias, às 18.00 hs., sem mudança pelo horário de verão. Quem quiser pode fazer a sua prece nesse horário e sintonizar com ele para captar as boas energias que de lá emanam. Para o Espiritismo não distâncias. Ele mantém um livro com os nomes das pessoas que lhe pedem energias e orações.


Sempre que ligo pra ele ele me informa que o meu nome e o de meus familiares estão sempre lá no momento das orações diárias.

Eu me lembro das muitas vezes em que unimos a nossa fé na sintonia de uma mesma prece. Um tempo bom que, agora, evoca a saudade.


.-.-.-.-.-.-.-.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Epitáfio


Epitáfio

Sim, dói sim!
Como palavras mal ditas
Sepultadas no silêncio da estúpida ausência...

Do repentino minuto,
Divisor de vidas e paixões.
Fatal.

A histeria. O pranto incontido.
Derramado sob a ótica indecifrável do já ocorrido.
O irremediável passado...

Algoz impávido, ímpio, tolo e sem razões.
Livrai-me!!!
Revoga tua sentença!

Algia cálida e muda.
Sentida na alma dos que ainda sofrem.
Conjugada, mútua às nações de miseráveis;

Que no fim enfrentarão a identidade própria da carne humana
Impermanente, fugaz, exaurida...
De nada servirá, senão aos vermes!
Mestres, no sombrio desfecho da humana vida.

Vede!
 agoniza a matéria, na decomposição.
- Mas não a forma etérea -
Onde a redenção?

O Espírito liberto
Qual fênix, das cinzas renascida,
Voa, altaneiro, espaço aberto,
Por entre miríades celestes,
Já, agora desperto.
Revive...

Alexandre Henrique Eller
-Fortaleza, 12.11.2003-






.-.-.-.-.-.-.-.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

TODA MATÉRIA É LUZ - SOMOS LUZ


INTERESSANTE MATERIAL POSTADO POR ANA SHARP EM SEU MURAL DO Facebook., o qual relata os experimentos científicos de Cientista Greg Braden, constantes do livro “Awakening to zero point” de Gregg Braden:


Somos apenas emissores...


Gregg Braden, desenhista de sistemas de computação aeroespaciais e geólogo chefe da Phillips Petroleum é um cientista conhecido hoje por unir o mundo da ciência e o mundo espiritual. Vale a pena ler o que ele diz! Se você viu o documentário (DVD) de Louise Hay chamado “Você pode curar sua vida”, ele está lá também dando seus depoimentos maravilhosos.

Você sabe que hoje a ciência já provou através da física quântica que somos energia e que estamos todos conectados através de nossa vibração? Deus é puro amor, é energia e por ser energia, não morre, não desaparece, é imortal, está em todos os lugares. E como somos a imagem e semelhança de Deus, sabemos que somos energia e hoje podemos provar isso. Somos seres espirituais e não seres feitos de matéria.

Durante muito tempo achava-se que a menor partícula de uma célula, o átomo, era feito de matéria. Depois descobriram que na verdade a maior parte de um átomo é vácuo, então achava-se que o núcleo, que é muito pequeno, fosse material. Essa idéia caiu por terra quando através do uso de microscópios eletrônicos muito potentes, verificou-se que o núcleo de um átomo é apenas energia condensada, não é matéria.

Mas se tudo que existe no mundo “material” é feito de um conjunto de células, estas são feitas de átomos e se um átomo de qualquer coisa não é material, então no nivel microscópico, nada é material, tudo é vibração , tudo é feito de energia condensada.

Vivemos em um universo de vibração e nossos corpos são feitos a partir da vibração da energia que emanamos constantemente. O que você pensa sobre seu corpo e sua saúde?

Apesar de pouco conhecida ainda, a descoberta do Grande Código Isaias nas cavernas do Mar Morto em 1946 revelou as chaves sobre nosso papel na criação. Entre essas chaves encontram-se as instruções de um modelo “perdido” de oração que a ciência quântica moderna sugere que tenha o poder de curar nossos corpos, trazer paz duradoura à nosso mundo e talvez prevenir as grandes tragédias que poderiam enfrentar a humanidade. Com as palavras de seu tempo, os essênios nos lembram que toda oração já foi atendida por Deus.

Qualquer resultado que possamos imaginar e cada possibilidade que sejamos capazes de conceber, é um aspecto da criação que já foi criado e existe no presente como um estado “adormecido” de possibilidade.

A física quântica já foi apelidada de Física das possibilidades por nos dizer que tudo o que imaginamos encontra-se disponível como uma das possibilidades que vamos assimilar em nossas vidas, só deveríamos “atrair” a que desejamos pelo nosso pensamento.

Criar, atrair ou acessar??? 

À partir dessa perspectiva, nossa oração baseada nos sentimentos deixa de ser “algo por obter” e se converte em “acessar” o resultado desejado, que já está criado no mundo vibracional (quântico, atômico) das infinitas possibilidades. Ou seja, nada é impossível. Quando temos um desejo sincero, este torna-se parte das nossas possibilidades futuras no nível quântico e só precisamos sintoniza-lo.

Então já sabemos que a ciência atual consegue provar através da teoria quântica que pensamento é energia, que toda energia tem uma vibração e que a vibração cria o mundo material, nossos corpos e todo restante ao nosso redor foi e continua sendo criado através das nossas mentes coletivas.

Também sabemos que a luz é uma fonte de energia , então, à que estão conectadas as partículas de luz? Gregg Braden diz que estamos sendo levados a aceitar a possibilidade de que existe um novo campo de energia e que o DNA está se comunicando com os fótons por meio desse campo.

Experimento 1 

Nesse experimento foi recolhida uma amostra de leucócitos (glóbulos brancos) de vários doadores. Estas amostras foram colocadas em uma sala com um equipamento de medição das alterações elétricas. Nesse experimento, o doador era colocado em outra sala e submetido à estímulos emocionais provocados por vídeos que lhe causavam emoções. O DNA era colocado em um lugar diferente do doador, mas no mesmo prédio. O doador e seu DNA eram monitorados e quando o doador mostrava alterações emocionais (medidas em ondas elétricas) o DNA visualizado através de microscópios muito potentes expressava respostas idênticas e simultâneas. Os altos e baixos do DNA coincidiam exatamente com os altos e baixos do doador. O objetivo era saber a que distancia poderiam estar separados o doador e seu DNA para que o efeito continuasse a ser observado. Pararam de fazer as provas quando chegaram à uma distancia de mais de 80 km entre o DNA e seu doador e continuaram obtendo o mesmo resultado, sem diferença e sem atraso de transmissão. O DNA e o doador tiveram as mesmas respostas ao mesmo tempo. Mas o que isso significa? 

Gregg Braden diz que isso significa que as células vivas se reconhecem através de uma forma de energia não reconhecida com antecipação. Essa energia não é afetada nem pela distancia e nem pelo tempo. Não é uma forma de energia localizada mas uma energia que existe em todas as partes e todo o tempo.

Experimento 2 

Outro experimento foi realizado pelo Instituto Heart Math e nele se observou o DNA da placenta humana (a forma mais antiga de DNA) que foi colocado num recipiente onde podiam ser medidas suas alterações. Foram distribuídas 28 amostras em tubos de ensaio para um mesmo numero de investigadores previamente treinados. Cada investigador foi treinado para gerar e emitir sentimentos e cada um podia ter fortes emoções. O que se descobriu foi que o DNA mudou de forma de acordo com os sentimentos dos investigadores. Quando eles sentiam gratidão, amor, estima, o DNA respondia relaxando e seus filamentos se estirando. O DNA ficou mais longo. Quando os investigadores sentiam raiva, medo ou stress, o DNA respondia se encolhendo. Tornou-se mais curto e muitos códigos se apagaram. Alguma vez você já se sentiu “carregado” por emoções negativas? Agora sabemos o porquê, uma vez que nossos corpos também se afetam. Os códigos do DNA se conectaram de novo quando os investigadores tiveram sentimentos de amor, alegria, gratidão, harmonia e estima e em muitos casos houve cura física de doenças. Essas alterações emocionais provaram que eram capazes de ir alem dos efeitos eletromagnéticos. Os indivíduos treinados para sentir amor profundo, foram capazes de modificar a forma de seu DNA.

Gregg Braden disse que isso ilustra uma nova forma de energia que conecta toda criação. Essa energia parece ser uma rede tecida de forma ajustada e que conecta toda matéria . Essencialmente podemos influenciar essa rede de criação por meio de nossa vibração.

Questão de vibração ... 

Há mais de 30 anos, em 1947, o dr. Hans Jenny desenvolveu uma nova ciência para investigar a relação entre vibração e forma. Mediante seus estudos o dr. Jenny demonstrou que a vibração produzia até geometria.. Ele produziu uma surpreendente variedade de desenhos geométricos desde alguns muito complexos até outros bastante simples em materiais como água, azeite, grafite e enxofre em pó. Cada desenho era a forma visível de uma força invisível.

A importância dessa experiência é que com ela o dr. Jenny provou, sem espaço para dúvida, que a vibração cria uma forma previsível na substancia onde é projetada. Pensamento, sentimento e emoção são vibrações que criam um transtorno sobre a matéria em que são projetados, por essa razão precisamos tomar cuidado com o que pensamos e sentimos.

Muitas pessoas se exercitam, vão à academia, bebem muita água, comem alimentos saudáveis mas vivem com raiva ou pessimismo, assistem sempre aos noticiários negativos, adoram filmes de guerra, drama e violência, conversam sobre doenças, crise financeira , guerras. Estas pessoas geralmente não entendem porque ficam deprimidas. O alimento que ingerimos é importante, mas as emoções são o alimento da alma e esse alimento (emoções) influencia nossa saúde e nosso destino completamente.

Que tal ser amigo de sua alma? Veja coisas engraçadas, divertidas, alegres, bonitas, românticas, interessantes, instrutivas, espiritualistas, otimistas. Deixe o noticiário de lado, as conversas negativas, os livros e filmes violentos e tristes, pois o que isso agrega de qualidade positiva em sua vida? Nada. Negativamente? Tudo! Seja mais feliz, ame-se e cuide do alimento de sua alma.

A chave para obter um resultado entre os muitos possíveis (assimilar uma das infinitas possibilidades que nos cercam) reside em nossa habilidade para escolher nossas emoções e sentir que nossa escolha já esta acontecendo. Vendo a oração desse modo, como “sentimento” nos leva a encontrar a qualidade do pensamento e da emoção que produz esse sentimento. Viver como se o fruto de nossa prece já estivesse à caminho.

Se pensamento, sentimento e emoção não estão alinhados, não há união. Portanto, se cada padrão se move numa direção diferente o resultado é uma dispersão de energia e o resultado de sua oração não é recebido por você. Se por outro lado, os padrões de nossa oração se centram na união, como pode o “material” da criação não responder à nossa prece. “Qualquer um que diga à essa montanha: Sai daí e joga-te no mar – não vacilando em seu coração, mas acreditando que acontecerá, assim será” Marcos 11:23. A chave para que a oração seja eficaz é a união do pensamento, sentimento e emoção.

Com que rapidez isso ocorre? Diz Gregg Braden que alguns de nossos cientistas estão observando que o magnetismo da Terra esta diminuindo drástica e rapidamente. Inclusive já especularam em segredo sobre uma possível alteração dos pólos magnéticos do planeta, prevista justamente para o ano que termina o calendário Maia e as profecias assinalam como o principio de um novo começo – 2012. A tão famosa Era de Aquário ...

Diz que quanto maior o magnetismo, maior é o tempo para a manifestação no nosso mundo do que pensamos e sentimos. Por conseguinte, quanto menor o magnetismo, menor será o tempo para nos encontrarmos com a manifestação de nossos desejos e então levara menos tempo para nossos desejos se manifestarem. Isso pode ser algo maravilhoso não? Ou então, menos tempo para a manifestação de nossos medos, caso mantenhamos pensamentos negativos. Tudo depende de você. O que você mais pensa?

Conclusão 

Vimos que geneticamente nosso DNA muda com as freqüências que produzem nossos sentimentos e como é que as freqüências energéticas mais altas, que são as do amor, impactam no ambiente de uma forma material, produzindo transformações não so em nosso DNA mas no ambiente que nos cerca. Ou seja, você é muito mais poderoso do que imaginava.

Portanto, quanto mais amor deixarmos fluir por nossos corpos, mais adaptados estaremos para enfrentar o que possa acontecer em nossas vidas. E podemos conduzir todo nosso planeta mediante nossos pensamentos positivos em conjunto para o melhor futuro possível.

Extraído do livro “Awakening to zero point” de Gregg Braden



.-.-.-.-.-.-.-.

domingo, 20 de novembro de 2011

PRECE DE CÁRITAS


Deus, nosso Pai,
Que sois todo poder e bondade
Dai força àquele que passa pela provação,
Dai luz àquele que procura a verdade, e
E ponde no coração do homem a compaixão e a caridade.

Deus!
Dai ao viajor a estrela guia,
Ao aflito a consolação,
Ao doente o repouso.

Pai!
Dai ao culpado o arrependimento,
Ao espírito a verdade,
À criança o guia,
Ao órfão o pai.

Senhor!
Que a vossa bondade se estenda sobre tudo o que criastes.

Piedade Senhor,
Para aqueles que não vos conhecem,
Esperança para aqueles que sofrem.

Que a vossa bondade permita aos espíritos consoladores
Derramarem por toda parte
A paz, a esperança e a fé.

Deus!
Um raio, uma faísca do vosso amor pode abrasar a terra.
Deixai-nos beber nas fontes dessa bondade fecunda e infinita.
Onde todas as lágrimas secarão
E todas as dores se acalmarão.

Um só coração, um só pensamento subirá até vós,
Como um grito de reconhecimento e de amor.

Como Moisés sobre a montanha,
Nós vos esperamos com os braços abertos.

Oh! Bondade, Oh! Beleza, Oh! Perfeição!
Queremos de alguma sorte merecer a vossa misericórdia.

Deus!
Dai-nos a força de ajudar o progresso espiritual,
A fim de subirmos até vós;
Dai-nos a caridade pura,
Dai-nos a fé e a razão.
Dai-nos a humildade e a simplicidade
Que farão das nossas almas o espelho
onde se refletirá a vossa abençoada luz.


Mme. W. Krill. (Ditada pelo Espírito Cáritas-25 de dezembro de 1873).

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

ALMA MINHA GENTIL, QUE TE PARTISTE



Alma minha gentil, que te partiste
Tão cedo desta vida, descontente,
Repousa lá no Céu eternamente
E viva eu cá na terra sempre triste.

Se lá no assento etéreo, onde subiste,
Memória desta vida se consente,
Não te esqueças daquele amor ardente
Que já nos olhos meus tão puro viste.

E se vires que pode merecer-te
Alguma cousa a dor que me ficou
Da mágoa, sem remédio, de perder-te,

Roga a Deus, que teus anos encurtou,
Que tão cedo de cá me leve a ver-te,
Quão cedo de meus olhos te levou.




Luís Vaz de Camões





.-.-.-.-.-.-.-.

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

A REENCARNAÇÃO (I,II,III e IV)



REENCARNAÇÃO-I

Reencarnação é a faculdade do espírito de renascer, ou seja, voltar a ocupar um corpo de carne e, assim, começar nova existência sobre o Planeta. É, com certeza, o ponto mais polêmico entre as verdades que constituem a Doutrina Espírita..

Os Espíritos Superiores nos ensinaram que Deus criou todos os Espíritos simples e ignorantes. Foram criados puros, porém, sem conhecimentos e sem virtudes.

A jornada do espírito tem por finalidade adquirir o conhecimento e conseguir a perfeição, condições para que ingresse na comunidade dos espíritos puros, os quais estão junto a Deus e executam os desígnios do Criador sobre todo o universo.

O caminho da perfeição deve ser percorrido por todas as almas. Vivendo nas muitas moradas celestiais ou como alma encarnada, nos planetas, o espírito progride sempre. Nunca regride. Quando galgar a condição de espírito puro a alma volta a Deus que a criou.

Nesse aprendizado, terá exercido, em todas as situações, o seu livre arbítrio,. Por isso, a evolução do espírito será sempre creditada ao seu próprio esforço. A ajuda de Deus e dos anjos da guarda - Guias Espirituais - estará sempre disponível.
Um só período de vida física na terra seria ínfimo para o espírito atingir tal finalidade. Dessa forma, o Criador concede a todos os seus filhos, sem distinção, a oportunidade de reencarnar quantas vezes forem necessárias para atingir a perfeição.

Gravidez (imagem da internet)

O espírito encarnado habita o corpo físico até que este se torne impróprio para as suas necessidades. Liberta-se então da vestimenta física e retorna ao mundo espiritual onde aguarda a oportunidade de habitar um novo corpo.

Enquanto espera, medita, estuda. Aprende o que julga mais oportuno com vistas as suas próximas vidas sobre a terra. Também, medita sobre o seu desempenho na etapa precedente. Dessa avaliação pode lhe advir sentimentos alegres ou tristes, conforme perceba que obteve êxitos ou fracassos. Daí resulta o sentir-se feliz ou infeliz  após a morte física.
Ao “nascer de novo” o espírito volta à terra em ambiente adequado a que possa corrigir os erros de existências anteriores, bem como, praticar os atos necessários para sua evolução espiritual.


Essas são as palavras de Jesus:

"Não te maravilhes de te ter dito:
Necessário vos é nascer de novo".
João 3:7  (Bíbliaonline.com)

--------------



REENCARNAÇÃO-II


O espírito é criado puro, todavia, sem conhecimentos ou virtudes. Dotado de individualidade e livre arbítrio encarna no plano físico onde vivenciará as situações e circunstâncias da vida, como espírito encarnado, na Terra ou em outro mundo que lhe seja designado.

Em suas vidas, interagindo com todos os seres criados por Deus, obterá os conhecimentos e as virtudes que necessita para ascender às regiões  celestiais onde habitam os espíritos puros, que atuam na execução dos desígnios de Deus para o todo o universo.

O espírito viverá muitas etapas de vida - aqui ou no além – e, assim, vivenciará o ciclo de reencarnações que se fizer necessário para sua ascensão.

Dessa multiplicidade de vidas – reencarnações - temos a clara distinção entre o corpo físico e o espírito que nele habita. O corpo é apenas a casa do espírito. O espírito preexiste ao corpo, não é criado apenas quando se forma o corpo no qual vai habitar. Algumas referências bíblicas atestam essa cronologia:


· O corpo é criado do pó da terra e a seguir, recebe o espírito. 
Gênesis 2:7

· “Antes que eu te formasse no ventre materno, eu te conheci...”.
Jeremias 1:5.

· “Depois disso disse o Senhor a Jó: Onde estavas tu quando eu lançava os fundamentos da terra? Diz-mo se tens entendimento. ...Tu o sabes, porque nesse tempo eras nascido, e porque é grande o número dos teus dias...” . Jó 38:1 e 21.

· Ossos ressequidos são cobertos com carne, tendões e pele e, só depois, lhes é trazido o espírito. Ezequiel 37:3,7-10.

Afirmamos acima que o espírito preexiste ao corpo humano. Não nos foi revelado, ainda, quando são criados os espíritos e nem como funciona, nesse particular, a evolução de todos os seres vivos. A propósito, citamos as palavras de Jesus, que são compatíveis com a evolução de todos os seres e coisas:

"E não presumais, de vós mesmos, dizendo: Temos por pai a Abraão; porque eu vos digo que, mesmo destas pedras, Deus pode suscitar filhos a Abraão”.
Mateus 3:9 (bibliaonline.com)

--------------



REENCARNAÇÃO-III


Abordagem da reencarnação como aceita na época de Jesus. Que entendimento nos passa o Mestre em algumas situações, citadas na Bíblia?

“Caminhando Jesus, viu um homem cego de nascença. E os seus discípulos perguntaram: Mestre quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego? Respondeu Jesus: Nem ele pecou, nem seus pais; mas foi para que se manifestem nele as obras de Deus." João 9:1-3 (bibliaonline.com)

A pergunta foi clara e objetiva: Quem pecou?  O homem que nascera cego, portanto - pecado anterior ao seu nascimento, ou seja, em vida passada – ou seus pais? Em sua resposta, Jesus não reprovou aquele entendimento, vigente, sobre as múltiplas vidas. Limitou-se a esclarecer que, naquela circunstância, não se configurava a ocorrência de pecado anterior ao nascimento e nem dos pais.

“Quem diz a multidão que eu sou? E, respondendo eles, disseram: João Batista; outros, Elias, e outros que um dos antigos profetas ressuscitou. E disse-lhes: E vós, quem dizeis que eu sou? E, respondendo Pedro, disse: O Cristo de Deus. Lucas 9:18-20 (bibliaonline.com)

Novamente fica evidente o tema reencarnação e, novamente, o Mestre não achou necessário corrigir o entendimento do povo e dos discípulos sobre a questão, mesmo sabendo que as pessoas admitiam que Nele, Jesus, estava reencarnado um dos antigos profetas.

“Em verdade, em verdade te digo que se alguém não nascer de novo, não pode ver o Reino de Deus. Quem não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no Reino de Deus.”  João 3:3 e 5.(bibliaonline.com)

Jesus afirma a Nicodemos a necessidade da reencarnação para a conquista do Reino dos Céus.

“Eis que eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível dia do Senhor.”  Malaquias 4:5 (bibliaonline.com)

“Mas os discípulos o interrogaram:  Por que dizem pois os escribas ser necessário que Elias venha primeiro? Então Jesus respondeu: De fato Elias virá e restaurará todas as coisas. Eu, porém, vos declaro que Elias já veio e não o reconheceram....Então os discípulos compreenderam que lhes falara a respeito de João Batista.”   Mateus 17:10-13 (bibliaonline.com)

"Elias já veio". Jesus afirmou, enfaticamente, a reencarnação do Profeta Elias.

--------------


REENCARNAÇÃO-IV


Deus, em sua excelsa justiça e sabedoria, facultou ao homem - espírito encarnado - viver muitas etapas de vida física, aqui na Terra ou em outro planeta, consoante o estado do seu adiantamento.  Concedeu-lhe, assim, as necessárias oportunidades para o seu aprendizado e consequente evolução. Sabia o Criador que uma só existência seria insuficiente para ele obter todo o conhecimento e adquirir todas as virtudes.
Vimos, nos tópicos anteriores, diversas facetas ou enfoques do tema reencarnação. Hoje vamos nos ater a duas afirmações específicas de Jesus. São situações em que a reencarnação se torna o único instrumento para implementar  o cumprimento daquelas palavras do Mestre.

Se eu quero que ele permaneça até que eu venha, que te importa?
João 21:22.

Jesus afirma que o discípulo amado - João - estaria vivo quando da sua volta. Sabemos que João morreu, segundo consta,, em avançada idade, na ilha grega de Patmos, Como ele estará vivo quando Jesus retornar?

"Em verdade vos digo que alguns há, dos que aqui estão, que não provarão a morte até que vejam vir o Filho do Homem no seu reino."
Mateus 16:28 (bibliaonline.com).


Novamente, o Mestre afirma que alguns dos seus discípulos estariam vivos em seu retorno à Terra. Dois mil anos se passaram desde essas duas afirmações. Todos aqueles homens já morreram, naquele corpo físico. De que forma poderão eles estar vivos para presenciar a volta de Jesus?

Somente através da reencarnação dos espíritos, serão cumpridos os desígnios da Providência Divina. Os discípulos referidos estarão vivos, na terra, e presenciarão a volta de Jesus ao nosso Planeta. Dessa forma, haverá o cumprimento das palavras do Mestre. Aqueles espíritos, contemporâneos de Jesus, renascerão na época adequada para tal ocorrência.

Como já foi dito anteriormente, a reencarnação possibilita ao espírito prosseguir o seu aperfeiçoamento e, também, oferece novas oportunidades para a reparação de erros das vidas precedentes.

A reencarnação é a própria graça e misericórdia de Deus. Ela faculta ao espírito o tempo e as vidas necessárias para conquistar o Reino dos Céus.

O nosso querido mestre de Lion, Allan Kardec, deixou gravado na lápide de seu túmulo, no cemitério de Père-Lachaise, em Paris, a frase que melhor sintetiza o ciclo das nossas vidas aqui na Terra:

“Nascer, viver, morrer, renascer ainda e progredir sempre.  Tal é a lei”.  Allan Kardec.


.-.-.-.-.-.-.-.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

As Relações no Além-Túmulo



Perguntas de Allan Kardec e respostas dos Espíritos, estas colocadas entre aspas, como citação.

------


"274. Da existência de diferentes ordens de Espíritos, resulta para estes alguma hierarquia de poderes? Há entre eles subordinação e autoridade? 

“Muito grande. Os Espíritos têm uns sobre os outros a autoridade correspondente ao grau de superioridade que hajam alcançado, autoridade que eles exercem por um ascendente moral irresistível.” 

a) - Podem os Espíritos inferiores subtrair-se à autoridade dos que lhes são superiores? 

“Eu disse: irresistível.” 

275. O poder e a consideração de que um homem gozou na Terra lhe dão supremacia no mundo dos Espíritos? 

“Não; pois que os pequenos serão elevados e os grandes rebaixados.” 

a) - Como devemos entender essa elevação e esse rebaixamento? 

“Não sabes que os Espíritos são de diferentes ordens, conforme seus méritos? Pois bem! O maior da Terra pode pertencer à última categoria entre os Espíritos, ao passo que o seu servo pode estar na primeira. Compreendes isto?  Não disse Jesus: aquele que se humilhar será exalçado e aquele que se exalçar será humilhado?” 

276. Aquele que foi grande na Terra e que, como Espírito, vem a achar-se entre os de ordem inferior, experimenta com isso alguma humilhação? 

“As vezes bem grande, mormente se era orgulhoso e invejoso.” 

277. O soldado que depois da batalha se encontra com o seu general, no mundo dos Espíritos, ainda o tem por seu superior? 

“O título nada vale, a superioridade real é que tem valor.” 

278. Os Espíritos das diferentes ordens se acham misturados uns com os outros? 

“Sim e não. Quer dizer: eles se vêem, mas se distinguem uns dos outros. Evitam-se ou se aproximam, conforme à simpatia ou à antipatia que reciprocamente uns inspiram aos outros, tal qual sucede entre vós. Constituem um mundo do qual o vosso é pálido reflexo. Os da mesma categoria se reúnem por uma espécie de afinidade e formam grupos ou famílias, unidos pelos laços da simpatia e pelos fins a que visam: os bons, pelo desejo de fazerem o bem; os maus, pelo de fazerem o mal, pela vergonha de suas faltas e pela necessidade de se acharem entre os que se lhes assemelham.” 

Tal uma grande cidade onde os homens de todas as classes e de todas as condições se vêem e encontram, sem se confundirem; onde as sociedades se formam pela analogia dos gostos; onde a virtude e o vício se acotovelam, sem trocarem palavra. 

279. Todos os Espíritos têm reciprocamente acesso aos diferentes grupos ou sociedades que eles formam? 

“Os bons vão a toda parte e assim deve ser, para que possam influir sobre os maus. As regiões, porém, que os bons habitam estão interditadas aos Espíritos imperfeitos, a fim de que não as perturbem com suas paixões inferiores.” 

280. De que natureza são as relações entre os bons e os maus Espíritos? 

“Os bons se ocupam em combater as más inclinações dos outros, a fim de ajudá-los a subir. É sua missão.” 

281. Por que os Espíritos inferiores se comprazem em nos induzir ao mal? 

“Pelo despeito que lhes causa o não terem merecido estar entre os bons. O desejo que neles predomina é o de impedirem, quanto possam, que os Espíritos ainda inexperientes alcancem o supremo bem. Querem que os outros experimentem o que eles próprios experimentam. Isto não se dá também entre vós outros?” 

282. Como se comunicam entre si os Espíritos? 

“Eles se vêem e se compreendem. A palavra é material: é o reflexo do Espírito. O fluido universal estabelece entre eles constante comunicação; é o veículo da transmissão de seus pensamentos, como, para vós, o ar o é do som. É uma espécie de telégrafo universal, que liga todos os mundos e permite que os Espíritos se correspondam de um mundo a outro.” 

283. Podem os Espíritos, reciprocamente, dissimular seus pensamentos? Podem ocultar-se uns dos outros? 

“Não; para os Espíritos, tudo é patente, sobretudo para os perfeitos. Podem afastar-se uns dos outros, mas sempre se vêem. Isto, porém, não constitui regra absoluta, porquanto certos Espíritos podem muito bem tornar-se invisíveis a outros Espíritos, se julgarem útil fazê-lo.” 

284. Como podem os Espíritos, não tendo corpo, comprovar suas individualidades e distinguir-se dos outros seres espirituais que os rodeiam? 

“Comprovam suas individualidades pelo perispírito, que os torna distinguíveis uns dos outros, como faz o corpo entre os homens.” 

285. Os Espíritos se reconhecem por terem coabitado a Terra? O filho reconhece o pai, o amigo reconhece o seu amigo? 

“Perfeitamente e, assim, de geração em geração.” 

a) - Como é que os que se conheceram na Terra se reconhecem no mundo dos Espíritos? 

“Vemos a nossa vida pretérita e lemos nela como em um livro. Vendo a dos nossos amigos e dos nossos inimigos, aí vemos a passagem deles da vida corporal à outra.” 

286. Deixando seus despojos mortais, a alma vê imediatamente os parentes e amigos que a precederam no mundo dos Espíritos? 

“Imediatamente, ainda aqui, não é o termo próprio. Como já dissemos, é-lhe necessário algum tempo para que ela se reconheça a si mesma e alije o véu material.” 

287. Como é acolhida a alma no seu regresso ao mundo dos Espíritos? 

“A do justo, como bem-amado irmão, desde muito tempo esperado. A do mau, como um ser desprezível.” 

288. Que sentimento desperta nos Espíritos impuros a chegada entre eles de outro Espírito mau? 

“Os maus ficam satisfeitos quando vêem seres que se lhes assemelham e privados, também, da infinita ventura, qual na Terra um tratante entre seus iguais.” 

289. Nossos parentes e amigos costumam vir-nos ao encontro quando deixamos a Terra? 

“Sim, os Espíritos vão ao encontro da alma a quem são afeiçoados. Felicitam-na, como se regressasse de uma viagem, por haver escapado aos perigos da estrada, e ajudam-na a desprender-se dos liames corporais. É uma graça concedida aos bons Espíritos o lhes virem ao encontro os que os amam, ao passo que aquele que se acha maculado permanece em insulamento, ou só tem a rodeá-lo os que lhe são semelhantes. É uma punição."

290. Os parentes e amigos sempre se reúnem depois da morte? 

“Depende isso da elevação deles e do caminho que seguem, procurando progredir. Se um está mais adiantado e caminha mais depressa do que outro, não podem os dois conservar-se juntos. Ver-se-ão de tempos a tempos, mas não estarão reunidos para sempre, senão quando puderem caminhar lado a lado, ou quando se houverem igualado na perfeição. Acresce que a privação de ver os parentes e amigos é, às vezes, uma punição.”

(LIVRO DOS ESPÍRITOS-Questões 275-290)


.-.-.-.-.-.-.-.