Quem sou eu

Minha foto
Eusébio, CE, Brazil
Espírita - Brasil

terça-feira, 31 de julho de 2012

Vida Vivida



VIDA VIVIDA

A chegada:
Alegria, magia, felicidade.
A partida:
Tristeza, despedida. Saudade.

Mágoas não levo tristezas ou rancor.
Vivi. Aprendi.
Por onde andei só marcas deixei de amor.

Se a alguém, por acaso, em ato impensado,
causei a dor. Perdoe-me!
Contristado, eu peço, por favor!

O caminhar foi lindo, pássaros cantando
a chuva caindo.
As pessoas se amando. O sol ressurgindo.

No bosque, a abelha viu o pólen.
E, feliz, beijou a flor o quanto quis.
Dela, apenas, extraiu vida e sabor.

Na fruta colhida o alimento, o calor
A seiva nutrida, no encanto do vida.
Seus beijos, sem conta, alimentaram o amor.

A vida vivida nasceu a criança.
E viu o futuro de amor e esperança.
Na terra que arei, sementes plantei.
Das flores: Perfume e beleza, desfrutei.


Vou alegre, vou triste,
na vida que existe, viver com ardor.
Longe ou perto, estou certo,
Não há distância, que desenlace o amor.

Euleir Eller - Alto Caparaó/2002.





.-.-.-.-.-.-.-.

domingo, 29 de julho de 2012

Defeitos


É normal possuir defeitos, entretanto, não é normal cultivá-los.
Todos nós temos defeitos. Se estamos encarnados no Planeta Terra é por que não somos perfeitos.

Seres perfeitos podem aqui encarnar em missão de auxílio ao progresso da humanidade mas a regra é estarem aqui os que precisam do aprendizado que aqui se processa.

Há defeitos que nos acompanham na esteira dos tempos... de vidas passadas, esses, costumamos dizer que nascemos com eles: "Fulano é assim ou assado, já nasceu assim...".

Alguns dos nossos defeitos são públicos e notórios, todos conhecem. Outros apenas são conhecidos no convívio do nosso círculo mais íntimo, como a casa e o trabalho. É sobre esses defeitos que aludimos na frase: "Vai conviver com fulano para saber os seus defeitos". Há defeitos que mantemos em segredo, os quais não admitimos tornar público ou confessar a ninguém.

Um defeito bastante comum é o de julgamos os outros. Julgamos por palavras ou em pensamento e somos rápidos em julgar, mesmo sem conhecer todas as circunstâncias dos fatos. Por vezes, nem percebemos que julgamos, expressando reprovação: "No meu caso, eu faria assim ou assado... se fosse comigo ia ser bem diferente... fosse eu e iriam ver com quantos paus se faz uma canoa...".

Tentar monitorar e dirigir a vida dos outros é, também, defeito nosso, bastante comum.

Corrigir os nossos defeitos é parte da nossa evolução espiritual. Não é tarefa fácil mas necessária. Há hábitos tão arraigados que até gostamos deles. É comum pensarmos: "Eu sou assim... quem quiser gostar de mim terá que gostar assim, do jeito que eu sou, com todos os meus defeitos". Pensamos assim para o nosso caso mas, via de regra, detestamos os defeitos alheios.

Libertar-se dos defeitos e adquirir as virtudes são metas traçadas para a alma.

Neste caso, o melhor caminho é o da disciplina no agir e no pensar, tendo ciente que, superar os defeitos é uma tarefa de longo prazo.

O jeito é viver e conviver com nossos defeitos, melhorando-nos e corrigindo-nos, um pouco a cada dia.


Ajudará muito se pedirmos a ajuda dos Amigos Espirituais para nos mantermos alertas diante do propósito de evoluir sempre.

.-.-.-.-.-.-.-.









quarta-feira, 25 de julho de 2012

EVOLUIR É PRECISO


Despertar na espiritualidade vai ser algo diferente. A ausência do corpo físico será algo com o que acostumar. Nossa mente se encarregará de suprir-nos de lembranças e anseios que nos confundirão sobre estar, ainda, habitando um corpo terrestre. Nesses primeiros momentos sentiremos os estímulos de nossas necessidades físicas, mais ou menos pungentes, de acordo com a evolução que se alcançou aqui.

Aos poucos nos daremos conta de que a viagem física acabou. Saberemos então que a riqueza, a pobreza, o poder, a beleza foram apenas detalhes do colorido dessa estada no Planeta Terra, foram circunstâncias necessárias ao aprendizado do Espírito.

Após o período de adaptação seremos atraídos ou levados para ambientes compatíveis com os nossos interesses e com o grau de nossa vibração. Seremos livres mas nunca nos moveremos para os lugares com vibração superior à nossa.

O elevador só estará franqueado para baixo, para cima só com vibração mais elevada.

O certo é que estaremos vivendo como espíritos. Juntos ou separados de amigos, conhecidos ou parentes, seguiremos nossa vida espiritual no ambiente para onde nos levar o grau a nossa evolução.

Aqueles que morrem de medo dos espíritos já não precisarão teme-los porque será, simplesmente, um deles. Se encarnado tinha medo, agora serão eles que infundirão medo a alguns encarnados. Tentarão se aproximar de entes queridos e, muitas vezes, serão repelidos, em pensamento. O medo de espíritos será motivo para expulsá-los do ambiente familiar e excomungá-los como agentes das trevas. Triste, né?

Que mudança! Antes, temendo a aproximação dos amigos espirituais, agora, temidos como agentes do mal.

Lá, se tivermos merecimento, estaremos juntos ou veremos os seres que amamos e que, juntos caminharam conosco na caminhada física precedente.

Então compreenderemos a caminhada da alma saindo da ignorância e caminhando para a Luz.

O caminho nos assinalou Jesus: O caminho do amor, da caridade e do perdão. A Luz de Jesus é o farol que está disposto para todos os caminhantes.

As muitas vidas físicas - enfeixadas na vida única da alma - proverão os acertos e as mudanças de rota necessários para a evolução da alma.

Compreenderemos que fomos criados por Deus e que para Ele caminhamos.

A felicidade será para todos, mas o ingresso nesses círculos de felicidade plena, será fruto da jornada de cada um, pelos méritos das virtudes adquiridas e praticadas.

Evoluir é preciso.
.-.-.-.-.-.-.-.

terça-feira, 24 de julho de 2012

Sacrifícios

O sacrifício do homem em nada aproveita a Deus.

Toda provação ou sofrimento só terá proveito se resultar em aprendizado do Espírito que a suporta.

Muito do sofrimento humano constitui reparação, para o Espírito encarnado, por débitos acumulados em vidas passadas. Nenhum espírito vai pagar no inferno por seus erros e falhas, ao contrário, é-lhe dada a oportunidade de voltar à vida terrestre e, aqui, purgar o mal que causou.

Há sofrimentos da vida atual que são resultantes de escolhas atuais. Quem escolhe viver vícios e excessos pode colher males desse procedimento nesta própria atual existência. 

A história humana nos mostra que, por certo tempo, entre os religiosos, houve o entendimento de que sacrifícios e votos restritivos eram ações agradáveis a Deus. Acreditavam que o auto flagelo purificava o Espírito. Daí, certamente, derivou o costume das penitências para perdão dos pecados.

Conhecemos a história de vida dos santos religiosos e, em quase todos elas, está implícita a ideia de sofrimento e renúncia como forma de agradar a Deus.

Esse entendimento impregnou o entendimento de todas as pessoas. Até mesmo as crianças, na minha infância, repetiam as frases dos adultos, adaptadas ao mundo infantil: Ei! não quer comer não, quer virar santo? Ou ainda, não vem brincar com a gente hoje, quer virar santo?



Hoje temos melhor entendimento sobre a questão e sabemos que o arrependimento e a reparação das faltas são as portas para o perdão e para o reequilíbrio do Espírito.

Deus não se apraz no sacrifício, na punição e nem nas dores e sofrimentos que o homem atraiu para si no uso do seu livre arbítrio.

Nenhum sofrimento humano é castigo de Deus, mas sim colheita dos frutos semeados pelo próprio homem em suas muitas vidas, nesse caminhar de experiências e aprendizados, vivendo as muitas vidas que o conduzirão ao reino de felicidade para o qual foi criado.

Um sofrimento como o de São Francisco de Assis - jovem nobre que abdicou da riqueza e do fausto para se privar de todo prazer e conviver com os pobres e miseráveis - deve ser visto e até venerado como uma vitória dele sobre os sentidos. Deve ser visto como libertação do Espírito. Deve ser visto, também, como uma senda do melhoramento humano mediante a prática do bem.

Quanto de sacrifício libertador deve ser visto nas vidas de Sidarta (Buda), Madre Teresa de Calcutá, Irmã Lucia e Chico Xavier, para os quais os bens terrenos e prazeres da vida pouco representaram em vista do ideal de elevação do Espírito?

Se alguém se propuser a passar fome e sede por 1 mês, em praça pública, nenhum proveito terá obtido dessa ação se dela não resultou benefícios para si ou para a humanidade. O fato em si nada representou.

Diante do sofrimento presente, melhor obter dele o proveito a que o mesmo se destina.

O primeiro passo é o da aceitação, mediante o entendimento de que o sofrimento está permitido por Deus como forma de reparação e aprendizado. Representa a colheita do mal semeado, sabendo que Deus não abandona ao que sofre.

O segundo passo precisa ser o do perdão de si mesmo e dos terceiros envolvidos nos fatos originários da atual reparação.

O terceiro passo diz respeito ao sincero arrependimento, ao qual seria pertinente acrescentar a prática do amor e da caridade como forma de novo viver.

De resto, são pertinentes, para nossas vidas, as advertências do texto bíblico:


Ide, porém, e aprendei o que significa: Misericórdia quero e não sacrifício. Mateus 9:13.
Perto está o Senhor dos que tem o coração quebrantado.Salmos 34:18.

Eu cultivo a percepção de um Deus alegre que se realiza nos momentos de felicidade dos seus filhos, assim como, na vivência dos prazeres naturais para os quais fomos naturalmente predispostos. Fico com o Deus da beleza, da arte, da ciência, da alegria e da pureza que inspira todos os bons sentimentos.


Deus é alegria, é paz, é música, é felicidade...


.-.-.-.-.-.-.-.











sábado, 21 de julho de 2012

TRISTEZA E DEPRESSÃO



A tristeza envolve nosso corpo mental em densas nuvens escuras  que impedem a absorção das energias essenciais da vida. Nesse quadro ficam baixas as defesas do organismo físico. Nessa circunstância, instalam-se as doenças ou evoluem aquelas que já se encontravam sob tratamento.

A tristeza aceita e cultivada pelo Espírito pode, facilmente, evoluir para o estado de depressão, doença já denominada de “mal deste século”, tal a vertiginosa ascensão de sua incidência nos dias de hoje.  Alguns já admitem tratá-la como epidemia.

Entre os que restringem sua visão aos limites da vida física, o quadro depressivo constitui perigoso atalho para o suicídio.

O suicida, segundo nos relatam espíritos que passaram por essa prova, fica preso à tristeza da qual pretendia se livrar. Permanece no mesmo lugar e com os mesmos problemas, agora na esfera mental e, ainda, responderá pelo dano causado ao corpo espiritual - o perispírito - do qual depende para formar novo corpo físico, em próxima encarnação. O novo corpo poderá plasmar-se carecendo dos órgãos ou sentidos danificados no ato de interromper a vida precedente.

Mas, voltemos à tristeza e à depressão.

Conquanto o entrar em estado de tristeza e depressão possa ter decorrido de circunstância alheia à vontade da pessoa, a cura, entretanto, passa exatamente pela vontade do enfermo. Novas atitudes e novos enfoques da vida podem reverter o estado de tristeza. Trabalho e lazer terão papéis importantes na cura. Atividades como ir à igreja, ao teatro, ao cinema, à praia, ao jogo de futebol ajudarão no retorno da alegria de viver. Dedicar-se a uma causa social é, também, uma boa alternativa.

Um caso concreto:

Um dia, o Zé Maria, médium amigo meu, com o qual realizava culto  no lar, trouxe á reunião um senhor que pedia oração para tratar o quadro de profunda depressão em que se encontrava. Após explicar-nos circunstâncias de sua vida, este senhor relatou que sua angústia lhe induzia  idéias suicidas e que até já comprara uma arma para esse fim.

Disse-lhe que faríamos a oração e que lhe aplicaríamos passe por uma semana, se desejasse. Falei-lhe que todos temos Guias e Protetores Espirituais e que eles estariam ao lado dele para que superasse esse momento crucial de sua vida. Por fim, enfatizei-lhe que toda essa ajuda externa não teria o poder de influir naquela situação, posto que tudo isso estaria condicionado a  uma atitude dele. Diante da sua concordância de que tudo faria para recuperar a normalidade de sua vida, eu lhe falei:

“A depressão é como um poço profundo em que cai o indivíduo. Desse poço a pessoa tem que sair sozinha, ninguém poderá tira-la de lá. A ajuda de Deus – orações e passes – será como uma corda atirada, à qual a pessoa poderá agarrar-se para sair do fosso. Aceitar a ajuda e esforçar-se para sair é tarefa individual e intransferível de quem lá se encontra.”

Após o tratamento nunca mais estivemos com o referido senhor. Meses depois soubemos que mudara, com a família, para nova cidade e lá montara um negócio que já prosperava. Recuperara a normalidade sua vida.

Momentos de tristeza fazem parte da vida e independem de nossa vontade. No entanto, se passar por eles é uma obrigação, permanecer neles já é uma decisão pessoal. O mesmo se pode dizer para os momentos de raiva e ressentimentos. 

Está na bíblia o sábio conselho do Rei Salomão para que se cultive a alegria como remédio e se afaste a tristeza que é porta da entrada das doenças:


O coração alegre é como o bom remédio 
mas o espírito abatido seca até os ossos. 
(Provérbios 17:22)


Nota: Deixo claro que não tenho formação em área de saúde e que, portanto, não está aqui descrito nenhum roteiro para tratamento de saúde.


.-.-.-.-.-.-.-.

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Casamentos.





Nesses bate-papos virtuais e informais não há nenhum propósito de ensinar algo a alguém. A vida física é experiência a ser vivida com o pleno exercício do livre arbítrio. É livre o semear... só o colher é obrigatório.



Nessa vivência de escolhas soberanas, muitas vezes, até contrariamos os propósitos inicias de nossa existência, as metas traçadas ao lado dos mestres espirituais que nos auxiliaram no planejamento de uma vida proveitosa. Que fique claro que todo Espírito é livre de seguir ou não os planos esboçados.

Uma das escolhas mais importantes é a do casamento.


O Espírito André Luís nos ensina que, ao lado dos casamentos de puro amor e fraternidade, existem os casamentos de dever e de resgate, propostos e aceitos como meio de promover a superação de problemas passados, em outras vidas. 


Aprendemos então que há um componente espiritual em cada casamento.

Há casamentos delineados e desejados pela alma, fruto de uma programação aceita antes do renascimento do Espírito aqui em nosso lindo planeta azul. São os casamentos de almas afins – que alguns denominam, poeticamente, de almas gêmeas. Essas uniões materializam o amor daqueles que se casam. 

Fruto de igual planejamento, mas refletindo situações diversas, outras almas se unem sob o vínculo da premente necessidade de romperem as algemas de sombras que as aprisionaram em vidas passadas. 

Em ambas as hipóteses, o casamento foi proposto para a realização do amor, para o aprendizado e para a evolução da alma. 

Mesmo o casamento de resgate, onde se reúnem antigos adversários, visa ao amor e à felicidade, ainda que, transformando antigas energias escuras do passado. O resgate do passado visa à felicidade no presente e no futuro.

Podemos estar em uma família configurada para vivenciar o perdão, dando-o e recebendo-o e, dessa forma, transformando energias densas em Luz.  

Nem todos conseguem substituir cadeias de sombras por laços de luz, embora a isso tenham se proposto ao início.

Casamentos de amor e casamentos de dever. Se os primeiros representam felicidade, os últimos tendem a ela, conquanto sujeitos à superação das provas a que se propuseram. 

O casamento de resgate foi aceito, pelos que se casam, como a melhor maneira de superar os débitos e as imperfeições que impedem a evolução de cada um dos Espíritos. 

Se o aprendizado não se concretizar em uma vida, certamente será atingido em nova vida, em nova oportunidade. 

Podemos estar casados com antigos desafetos ou inimigos! 

Essa hipótese deve ser bem compreendida, antes de partir para a briga, a separação e o divórcio. Se o objetivo é aprender a amar e perdoar, uma dissolução da sociedade em nada contribui e pode até agravar o problema. Sempre poderá haver um novo casamento, em vida futura, já que o atual consórcio falhou em seus propósitos.

Essa é a misericórdia de Deus! Uma nova vida. Uma nova oportunidade para o aprendizado.

Ninguém será julgado ou condenado por um casamento falido. Basta a cada Espírito a própria tristeza de haver falhado em seus propósitos perante a Providência Divina.


.-.-.-.-.-.-.-.


quinta-feira, 19 de julho de 2012

Nossos Adversários

Um dia todos estaremos no Plano Superior, o Mundo dos Espíritos.

Seremos, todos, apenas o que sempre fomos: Espíritos.

Ainda estaremos vivos, mas, então, sem o corpo físico. Olhando a nossa passagem pelo Planeta Terra, ela nos parecerá um sonho. O sonho de  uma realidade distante, numa vida que dirigimos, com a nossa vontade, e que fizemos pender para o lado que queríamos vivenciar.

Esse sonho, que nos parecerá bom ou ruim, se confundirá com a realidade dos que ainda vivem na Terra e que, daqui, nos enviarão seus pensamentos, suas saudades, seus agradecimentos, enfim, seus sentimentos sobre nós e o que representamos para eles.

Estaremos ligados às energias e vibrações que daqui emanam e atingem todos os planos da vida espiritual. Receberemos energias boas dos amigos e, também, as energias negativas daqueles que nos querem mal ou que desaprovaram nossos atos e ações de quando aqui estivemos.

Torna-se clara e objetiva a advertência do Mestre Jesus sobre a necessidade de nos compormos com os nossos inimigos, enquanto estamos a caminho...

"Concilia-te depressa com o teu adversário,
enquanto estás no caminho com ele..." Mat.5:25.

O ódio de inimigos, para com os quais tenhamos culpa verdadeira, poderá nos prender em regiões de sofrimento e de angústia. 

Nada deixará de ser cobrado... "até o último ceitil".

O segredo é:

Vivenciar o amor. Perdoar e obter  o perdão.



.-.-.-.-.-.-.-.



segunda-feira, 16 de julho de 2012

A Viagem do Ser


A VIAGEM DO SER


Alma errante! Caminha pelo Universo
Buscando a Luz e a verdade
Passeia pelos mundos, entre as estrelas.
Sua sina, minha sina:
A ETERNIDADE.

Muitos viajam comigo
A todos o destino final em comum
Camaradas, irmãos, amigo.
Qual o caminho? 
A ESCOLHA DE CADA UM.

Não há ponto exato onde moro
Persigo as esferas de luz
Onde for preciso, me demoro.
Meu Oriente: 
A LUZ DE JESUS.

Nessa grande travessia
Sem bagagem, sem dinheiro
De nada tenho carência.
O universo:
É O GRANDE CELEIRO.

Nesse caminhar, nem tudo é amor, carinho
Há rosas, beleza, verdade
Mas, também, há erro, estrepe, espinho.
E o vazio:
DE UMA TREMENDA SAUDADE.

Tristeza, felicidade, alegria
Tudo é passageiro, são fases
Façanhas, glórias, vitórias
Miragens:
MOMENTOS FUGAZES.

Nas minhas fraquezas, sou ajudado,
Nas de outros, estendo a mão.
Num instante, sou perdoado.
Logo à frente:
 OFEREÇO O PERDÃO.

Olhando o imenso infinito, nele imerso,
Só encontro beleza e amor.
Da alma imortal nasce o brado,
Um verso:
SOU UM FILHO DO CRIADOR !


Euleir Elller - Atafona-Rj/2001


.-.-.-.-.-.-.-.

quinta-feira, 12 de julho de 2012

MENTE ABERTA: O Principal

MENTE ABERTA: O Principal: Conta a lenda que certa mulher pobre com uma criança no colo, passando diante de uma caverna escutou uma voz misteriosa que lá dentro lhe ...


O Principal


Conta a lenda que certa mulher pobre com uma criança no colo, passando diante de uma caverna escutou uma voz misteriosa que lá dentro lhe dizia:


"Entre e apanhe tudo o que você desejar, mas não se esqueça do principal.

Lembre-se, porém, de uma coisa: Depois que você sair, a porta se fechará para sempre. Portanto, aproveite a oportunidade, mas não se esqueça do principal..." A mulher entrou na caverna e encontrou muitas riquezas.

Fascinada pelo ouro e pelas jóias, pôs a criança no chão e começou a juntar, ansiosamente, tudo o que podia no seu avental.

A voz misteriosa falou novamente:

"Você só tem oito minutos."

Esgotados os oito minutos, a mulher carregada de ouro e pedras

preciosas, correu para fora da caverna e a porta se fechou...

Lembrou-se, então, que a criança ficara lá e a porta estava fechada para sempre!

A riqueza durou pouco e o desespero, sempre.

O mesmo acontece às vezes, conosco.

Temos uns oitenta anos para viver neste mundo, e uma voz sempre nos adverte:

"Não se esqueça do principal!"

E o principal são os valores espirituais, a família, os amigos, a vida

Mas a ganância, a riqueza, os prazeres materiais os fascinam tanto que o principal vai ficando sempre de lado...

Assim, esgotamos o nosso tempo aqui, e deixamos de lado o essencial: Os tesouros da alma!

Que jamais nos esqueçamos que a vida neste mundo, passa rápido e que a morte chega de inesperado.

E quando a porta desta vida se fechar para nós, de nada valerá as lamentações.

Portanto, que jamais te esqueças do principal!

Autor desconhecido 
Postado por Jorge Luiz-Blog Mente Aberta


.-.-.-.-.-.-.-.

domingo, 1 de julho de 2012

Verdades da Vida

"Algumas “verdades” que aprendi sobre a vida:

1. Você não pode mudar outras pessoas, é é grosseiro tentar.
2. É muito mais difícil queimar calorias do que se controlar para não comer alguma coisa.
3. Crianças são criaturas extremamente honestas até que a gente as ensine a não serem.
4. Gritar sempre piora as coisas.
5. Sempre que você se preocupa com o que os outros vão pensar de você, na verdade você está se preocupando com o que você irá pensar de você mesmo.
6. Todo problema que você tem é responsabilidade sua, independente de quem o causou.
7. Se você nunca questiona suas crenças, então provavelmente você está errado.
8. Ninguém sabe tudo sobre a vida.
9. Cada rosto que passa ao seu lado na rua representa uma história tão complicada quanto a sua.
10. Sempre que você odeia algo, ele te odeia de volta: pessoas, situações e até objetos.
11. As pessoas sempre embelezam tudo pra fazer as coisas parecerem mais bonitas e legais do que realmente foram.
12. Aqueles que mais reclamam, são os que menos realizam.
13. Evitar fazer algo o torna automaticamente mais difícil e mais assustador.
14. A maioria das coisas que você vê é somente o que você acha daquilo que vê.
15. Se o que você está fazendo parece ser absolutamente seguro, então você está fazendo isso errado.
16. Culpar os outros é o passatempo favorito dos que não gostam de responsabilidades.
17. Qualquer pessoa que você conhece é melhor do que você em algo.
18. Conhecimento é uma crença, nada mais.
19. O que torna os humanos diferentes dos animais é que os animais conseguem ser eles mesmos com facilidade.
20. Auto-reflexão é a única saída do caminho da infelicidade.
21. Quase todo clichê carrega uma verdade tão profunda que as pessoas tendem a repeti-la até que você se canse de ouvi-la. Mas a sabedoria ainda está lá.
22. O mundo seria um lugar melhor se todo mundo lesse/assistisse National Geographic.
23. Se você não é feliz sozinho, não vai conseguir ser feliz em nenhum relacionamento.
24. Mesmo se não custar dinheiro, se tomar seu tempo, então não é de graça.
25. Todo mundo acha que dirige melhor que a maioria das pessoas.
26. Se vale gastar dinheiro com algo, é com um colchão de qualidade. Você vai passar um terço da sua vida nele.
27. Mesmo que tentemos lutar contra isso, somos todos hipócritas.
28. Crianças entendem tudo que você diga desde que passe o recado em uma ou duas frases curtas.
29. Palavras são imensamente poderosas. Uma marca cruel pode ferir alguém pra vida toda.
30. A maioria das coisas que as crianças aprendem dos seus pais não foi ensinada de propósito.
31. O ingrediente secreto geralmente é manteiga, em quantidades obscenas.
32. Sempre é válido experimentar de novo alguma comida que você não gostou da primeira vez.
33. Os problemas, quando surgem, raramente são tão dolorosos quanto a experiência de temê-los.
34. Nada – nunca – acontece exatamente como você imaginou.
35. Às vezes você tem que afastar algumas pessoas da sua vida – mesmo que elas sejam da família.
36. Não há razão para terminar de ler um livro do qual você não está gostando.
A vida é curta demais pra isso. Engula seu orgulho e o deixe de lado pra sempre, inacabado.
37. Qualquer pessoa pode se acalmar instantaneamente ao olhar para o mar ou para as estrelas.
38. A vida é uma viagem solitária, mas você vai receber várias visitas. Algumas duram um bom tempo, mas a maioria não.
39. Talvez você tenha se esquecido disso, mas fomos feitos pra pisar na grama e celebrar o sol nascendo.
40. Matar tempo é uma atrocidade. Ele não tem preço e nunca volta."

Desconheço autor - Texto obtido no Fb - página Guria da Poesia Gaúcha.



.-.-.-.-.-.-.-.