Quem sou eu

Minha foto
Eusébio, CE, Brazil
Espírita - Brasil

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

HOMEM INVISÍVEL

Todos já ouvimos histórias com personagens invisíveis - fadas, bruxas, magos, fantasmas, saci-pererê, duendes, etc. - e, também, histórias de super-herói invisível.

Pode-se afirmar que sempre houve a crença nos seres invisíveis. Também, quase todos nós, aprendemos a acreditar nos seres invisíveis ligados à religião: Deus, anjos, espíritos, santos e até na existência de...“demônios”.

Hoje vamos conversar sobre você, homem invisível, como qualquer dos seres ou entidades mencionados. Você dirá: Impossível! Eu sou de carne e osso, sou material, existo fisicamente.  Tenho matéria, peso, ocupo um lugar no espaço e todos podem me ver.

Certo. Mas você possui um corpo invisível que é agente e matriz do seu corpo material.  É um corpo de energia que funciona como um molde do seu corpo físico.  Raríssimas pessoas podem vê-lo ou percebê-lo.  É com este corpo de matéria sutil que você sobreviverá após a morte.  Você continuará vivo, porém, invisível para a quase totalidade dos seres humanos.

Todas as coisas são quantidades de energia. A matéria é energia. Dessa forma, torna-se fácil admitir que há um corpo de energia - invisível - que funciona como agente aglutinador da matéria física densa que forma e mantém o corpo físico. Quando esse corpo de energia desligar-se do corpo físico, este último entrará em decomposição.

Ao referir-se ao seu corpo, você diz:  “o meu pé, a minha cabeça, o meu corpo”. Você é alguém que possui o corpo. Mas, quem é esse alguém?  É você - alma ou espírito - um ser etéreo, invisível aos olhos humanos, que mantém a sua individualidade num corpo de energia.

Quando alguém perde partes do seu corpo físico, em virtude de acidente ou doença, essa pessoa diz: Eu perdi tal ou qual parte do meu corpo, ou seja, afirma que possuía e perdeu parte do que possuía.  Alguém, invisível, perdeu algo visível que era seu. Esse alguém é o ser que estamos denominando, HOMEM INVISÍVEL.

Você existe independentemente do seu corpo físico.  Você utiliza o seu corpo de matéria para se manifestar sobre a terra.  Ou seja, você é um ser invisível que se expressa por meio de um corpo de matéria física, visível.

O corpo invisível é o Espírito.  Invisível, porque formado de um tipo de matéria que a percepção humana não alcança ver.  Esse corpo invisível –  você – possui uma identidade imutável, independente do tempo e do espaço e, também, de estar ou não associado a um corpo físico.

Aquele velho sonho de criança de se tornar invisível não é, afinal, uma realidade tão distante assim.  Principalmente, admitindo que vivemos a maior parte da nossa eternidade na forma etérea, ou seja, invisível aos olhos humanos.

Você é um homem invisível e, ainda, por muito mais tempo do que jamais teria imaginado.

Tudo que se disse aqui diz respeito apenas à capacidade de ver dos olhos humanos.  Na condição de Espíritos desencarnados seremos completamente visíveis uns aos outros.

Felicidades, meu amigo invisível!




.-.-.-.-.-.-.-.

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Deus pode Errar? Deus pode se arrepender do que fez?


"E viu Deus tudo quanto tinha feito, e eis que era muito bom; e foi a tarde e a manhã, o dia sexto." Gen.1:31.
"Então arrependeu-se o SENHOR de haver feito o homem sobre a terra e pesou-lhe em seu coração.
E disse o SENHOR: Destruirei o homem que criei de sobre a face da terra, desde o homem até ao animal, até ao réptil, e até à ave dos céus; porque me arrependo de os haver feito."  Gen.6:6-7. (www.bibliaonline.com.br) 


As Leis de Deus são eternas e imutáveis. Não é possível admitir que Deus fez algo e, depois, concluiu que era bom ou ruim, ou ainda, que arrependeu-se de o haver feito. Uma tal assertiva equivaleria a dizer que Deus está sujeito a cometer erros e falhas de julgamento. Se assim fosse, poderia o Criador arrepender-se, ainda hoje, de haver criado o Universo que conhecemos ou partes dele: uma galáxia ou alguns milhares de sóis e seus planetas, sob a ótica de haver concluído, agora, que fizera algo que não é bom.
Nesse caso tudo seria incerteza, nada mais do que uma experiência que pode ser boa ou ruim em seus resultados. Todo o conhecimento e certezas passariam à condição de meras possibilidades. Não é possível associar Deus a um grande jogo de certo ou errado, pois seria colocá-lo na condição de falibilidade a que estão sujeitos os homens (espíritos em evolução).

Do ensino religioso que recebi, cedo concluí que somente uns poucos espíritos alcançariam a felicidade no céu... e que, quase toda a humanidade, estaria fadada ao sofrimento eterno após a morte. Mesmo criança, nunca pude admitir que Deus – o princípio de toda a sabedoria, justiça e amor – houvesse por bem criar Espíritos que já sabia estarem destinados ao sofrimento eterno. Sempre me pareceu mais lógico não criá-los.


Melhor está a fé espírita, onde a felicidade é o destino final de todas as almas, ainda que possa haver sofrimentos pelo caminho, na trilha da evolução individual de cada Espírito.


.-.-.-.-.-.-.-.

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Por que Espiritismo?




POR QUE ESPIRITISMO?

O que há de tão especial no Espiritismo? Que "religião" é essa?

O Espiritismo é a terceira grande revelação de Deus aos homens. A primeira nos chegou através de Abraão e Moisés revelando a unicidade de Deus e os seus mandamentos. A segunda nos chegou através de Jesus que nos revelou o reino dos céus e os novos mandamentos do amor e do perdão. A terceira foi a revelação da existência do mundo espiritual e de suas leis. Essa revelação foi feita pelos Espíritos Superiores e desses ensinamentos resultou a Doutrina Espírita.

O Espiritismo abriu as portas do desconhecido. Com ele acendeu-se o farol que dissipou as trevas da nossa ignorância sobre o que ocorre após a morte. Acabou-se o mistério.

Vencida foi a morte que deixou de ser o ponto final da vida. Revelou-se a vida única e eterna do Espírito em sua constante evolução – tanto no mundo físico como no mundo espiritual – e, o que é mais importante, vencido foi o terror do sofrimento eterno que as religiões impuseram aos homens durante tanto tempo.

Com o Espiritismo alcançamos o entendimento da origem e destino da alma humana. Compreendemos e aceitamos o sofrimento e a dor como decorrência de nossos próprios atos. Encontramos um Deus cuja verdadeira face reflete amor, justiça e perdão.

A continuidade da vida e o conhecimento do reino de amor para onde caminham todas as almas foram fatores determinantes para eliminar o pavor da morte que tanto aterrou o ser humano.

A possibilidade de corrigir os próprios erros enquanto constrói o seu futuro, no qual se insere a multiplicidade de vidas necessárias a todo o aprendizado, confere ao homem o “status” de grandeza e dignidade compatível com a centelha divina que o criou e que levou o salmista a exclamar:

“Vós sois deuses, e filhos do Altíssimo, todos vós. Todavia, como homens, haveis de morrer”  Salmos 82:6 e 7.

A Doutrina Espírita veio ensinar as coisas espirituais e mostrar o roteiro da caminhada da alma pelo universo e na eternidade, em busca da própria perfeição. Veio mostrar ao homem que é imprescindível caminhar para a LUZ, para a VERDADE e para o AMOR. Veio ratificar que, no curso das muitas existências, lutas, aprendizados, provas e provações, todos têm total acesso às muitas MORADAS preparadas pelo PAI.


.-.-.-.-.-.-.-.


quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

A fé Espírita é a fé raciocinada

É com muito prazer que inicio este BLOG, dedicado a apreciação de temas espíritas, buscando, é lógico, a associação de idéias e pontos de vista individuais, sempre considerando o interesse de reunir os que comungam da fé Espírita ou dela são simpatizantes.

Não esperamos apenas concordâncias, aceitaremos principalmente as divergências para ampliar o entendimento de cada tema. Pois refletir sobre nossas crenças apenas reforça e revigora o nosso entendimento sobre Deus e suas manifestações. Mas antes de tudo, raciocinar sobre o significado de cada uma delas.

Esse blog não pretende ter a última palavra sobre qualquer tema, até porque, o que se busca aqui é a divulgação das idéias espíritas, aí ficando implícito a busca do esclarecimento sobre as verdades espirituais.

Participo da ideia de que o Espiritismo não é uma religião. É, antes de tudo, um conjunto de verdades espirituais reveladas com vistas a alicerçar a fé de quantos pretendem seguir os passos de Jesus, por isso que tais conhecimentos seriam adequados a adoção por qualquer religião. O espiritismo se baseia na fé pura, livre de dogmas ou imposições humanas. Em sua base estão a revelação, a reflexão e a lógica. 

Cada indivíduo é livre e responsável pelo seu aprimoramento espiritual. Portanto, a sua fé deve resultar de um entendimento da espiritualidade e seus atos serão o reflexo dessa fé e não meros preceitos estipulados por terceiros.

Espero ter deixado claro que não é adequado, neste espaço, discutir puras divergências entre as religiões.

Se houvesse que eleger um tema central para o nosso espaço, elegeria a FÉ como sustentáculo comum entre todas as religiões. É deste ponto, em um ambiente de respeito ecumênico, que pretendo partir.


"A fé é uma fonte de água viva, nascendo espontaneamente na alma daquele que crê. É reverência profunda, aliada aos mais altos conceitos de serviço e responsabilidade, diante das concessões sublimes do Pai Eterno.
A fé é um tesouro indestrutível e um bem intransferível, porque é uma aquisição nascida e consolidada dentro do mundo interior de cada um, dentro do coração.”
(Os Mensageiros - André Luiz-psicografia de Chico Xavier)



.-.-.-.-.-.-.-.