Quem sou eu

Minha foto
Eusébio, CE, Brazil
Espírita - Brasil

terça-feira, 12 de abril de 2011

HABEAS-CORPUS


Os que habitam hoje o mundo espiritual são os mesmos homens que, ontem, viviam entre nós e conosco se relacionavam.

Quem morre não vira santo. Não se torna bom e, também, não se torna mau.  Não fica nem mais e nem menos inteligente do que o era por aqui.

Livre do corpo, o espírito retoma a sua liberdade de ir e vir. Recebe, literalmente, um verdadeiro “habeas corpus”. 

Essa liberdade estará, todavia, condicionada ao seu grau de evolução, quanto ao direito de ir a todos os lugares espirituais, ou seja, no plano astral. Não poderá ascender aos planos espirituais mais elevados se não atingiu o grau de vibração daqueles ambientes. Além do mais, o seu estado mental de culpa ou remorso poderá retê-lo em regiões de tristeza e sofrimento.

O conhecimento do mundo dos espíritos e da vida que ali se desenvolve induz o homem à prática das virtudes sobre a terra, sabedor de que este será o seu passaporte para a vida futura após deixar o corpo terrestre.

Entre as virtudes possíveis, o espiritismo ressalta a caridade como a pedra fundamental no edifício que constitui a evolução do espírito. Na visão espírita, a caridade deve ser exercida entre os homens, entre os espíritos e entre os homens e os espíritos.

É confortante saber que o espírito não regride nunca, em sua evolução. A vida continua no plano astral com o mesmo grau de conhecimentos, virtudes ou falta deles, de quando o espírito viveu sobre a terra.

Daí decorre que um Espírito pode estar tão necessitado de assistência espiritual, no plano astral, como o estava quando vivia em corpo humano sobre a terra. Mas poderá ser assistido pelos Guias Espirituais e pelos Espíritos encarnados e vivos sobre a Terra, se tiver ingressado em fase de sofrimento e confusão espiritual, após a morte física.

A confusão mental do "após a morte física" pode haver sido agravada pela possibilidade de o Espírito que retorna ao plano astral, haver sido  “sugado” para locais de sofrimento, para onde o atraiu a afinidade com o "mal", já cultivada sobre o nosso planeta.

Há muita sabedoria nos nossos velhos ditados populares:

"Junte-se aos bons e serás um deles.
A semeadura é livre mas a colheita é obrigatória.
Quem semeia vento colhe tempestades."


.-.-.-.-.-.-.-.

3 comentários:

  1. Também sou Espírita e gostei muito do seu blog! Já estou fazendo parte e voltarei mais vezes, com certeza! Gostaria de te convidar a conhecer o meu blog também, jorge-menteaberta.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. oi Jorge Luiz,
    Com muito prazer te recebo no meu blog e passo a seguir, tbém, o seu Blog.
    Vamos nos lendo e curtindo nossas idéias e ideais.
    Abraço.
    Euleir

    ResponderExcluir
  3. Oie meus parabéns curto muito isso e acredito ;D

    ResponderExcluir