Quem sou eu

Minha foto
Eusébio, CE, Brazil
Espírita - Brasil

sábado, 7 de janeiro de 2017

FRUTOS DO AMOR

Devido a uma formação religiosa inadequada, por herança de família, quase sempre estou propenso a aceitar que "os céus me castigam" com essa ou aquela doença, com este ou aquele problema ou mesmo pelo nascimento em meio social que me pareça inadequado.

Até a morte do corpo, que devia ser considerada etapa natural da vida terrestre, tememos e queremos que haja uma proteção de Deus para evita-la para nós e para os nossos familiares.

Sabemos que Deus tem todo o poder sobre as nossas vidas, por isso, nossa primeira reação diante de problemas inesperados, é debitar a Ele por todos os malefícios que nos atingem, inclusive pelos sonhos que não realizamos.

É mentira que nascemos do pecado e somos fruto do pecado. A única culpa que possamos carregar será por fatos de nossa própria autoria.

Como espíritos somos os filhos de Deus, nascidos do seu amor e destinados a obter a felicidade e a plena realização, mediante a aquisição dos conhecimentos e das virtudes que nos levarão às regiões celestiais de amor e paz.

Os corpos que ocupamos na Terra, também resultaram do amor que reuniu duas pessoas e da necessidade da nossa plena evolução.

Nada, em nossa vida, é obra do acaso e nem resulta de escolhas de Deus para premiar a uns e punir com "castigo do céu" a outros.

Nossas escolhas e nosso passado - nas muitas vidas que a eternidade nós dá - resultaram no que somos hoje e na realidade que desfrutamos sobre a Terra. Toda a culpa que possa constituir nossa bagagem espiritual, antes do nascimento, está em processo de expiação nas próprias vidas terrestres, mediante a Lei da Ação e Reação. Resgatamos para evoluir.

A ninguém podemos culpar por alguma infelicidade e só a nós mesmos devemos atribuir as conquistas de felicidade que nos abracem.

Nossa vida tem finalidade, com objetivos claros e executáveis. Ninguém estará se condenando à infelicidade eterna por qualquer ato ou coisa que faça, nessa etapa de vida terrestre.

Não há condenações eternas, sob qualquer pretexto.

A única verdade da qual não escaparemos é a de que evoluiremos por fruto do nosso livre arbítrio, custe isso cem, mil ou um milhão de vidas, nos planos físicos do Universo.

Claro que nas muitas vidas estaremos efetuando todos os resgates necessários das situações conflitivas com as quais causamos sofrimento e dor. Daí decorre que tais resgates podem nos impor  sofrimento e dor, por igual. 

Deve ficar claro que ações boas, apagam ações más. Assim, sofrimentos podem ser evitados com as boas ações, em todas as vidas.

Deus é amor, alegria e felicidade.

Caminhamos para Ele.


.-.-.-.-.-.-.-.

Nenhum comentário:

Postar um comentário