Quem sou eu

Minha foto
Eusébio, CE, Brazil
Espírita - Brasil

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

O ESPIRITISMO NÃO INVENTOU NADA

Tudo o que foi dito ou escrito - no âmbito da Doutrina Espírita e na própria evolução do Espiritismo - foi e é recebido, por revelação espiritual, mediante ensinamento dos Espíritos.

Ninguém inventou nada. Nem Alan Kardec, que primeiro escreveu sobre a realidade da alma e do mundo espiritual, nem os primeiros seguidores que sucederam ao mestre de Lyon e nem, tampouco, os nossos atuais e conhecidos médiuns como Chico Xavier, Divaldo Franco e tantos outros que nos legam farta literatura.

Tudo emana das revelações espirituais que, nós, os espíritas, computamos como os ensinamentos que Jesus postergou para o futuro, quando disse que a humanidade não estava preparada para recebe-los, naquela época. Disse-o, claramente, quando afirmou: 

"muitas coisas tenho para vos ensinar mas esta geração não está preparada... enviarei o Consolador, o Espírito da Verdade, que tudo revelará e que reavivará o que hoje vos ensino"...

Passaram-se quase 2.000 anos até chegarem os novos ensinamentos do Mestre mas, agora, o temos e aceitamos com gratidão.

O Espiritismo já nos revelou muitas coisas e poderá nos revelar muito mais, com a aprovação de Deus e sob os auspícios do Mestre Jesus, que vela sobre o destino da humanidade e do nosso pequeno e querido Planeta. 

O que nos conforta no Espiritismo é que não há, entre nós, nenhuma estrutura eclesiástica e nem pessoas autorizadas a nos impor "dogmas" e "artigos de fé" que não possam ser discutidos e até contestados.

Nasce daí uma fé "limpa", escoimada de toda a intervenção humana, pois somos livres de aceitar ou rejeitar o que nos parecer "impropriedades" que possam macular a nossa fé.

Desde a origem, reportando-se às verdades reveladas, o próprio Alan Kardec checava as novas revelações, por fontes espirituais diversas, e só retinha o que estivesse assim confirmado. Deixou bem claro, como um princípio filosófico para a Doutrina Espírita:

"É preferível rejeitar 100 verdades do que admitir uma só mentira".

Ainda, deixou claro que nada do que escrevera era de sua autoria, posto que sempre se designou como mero instrumento dos Espíritos Superiores, perante os quais se colocava, ainda, como imperfeito colaborador. Também, nessa posição, sempre se colocaram Chico Xavier, Divaldo Franco e tantos outros servidores da Doutrina Espírita, os quais nada buscam para si, em valores materiais.

Deixo aqui o alerta do Mestre Jesus:

"Vós sois o sal da Terra... se o sal for insípido, com o que se há de salgar?"



.-.-.-.-.-.-.-.



Nenhum comentário:

Postar um comentário