Quem sou eu

Minha foto
Eusébio, CE, Brazil
Espírita - Brasil

quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

Novo Ano Sem Erros e Culpas.



Chegou o novo ano, cercado de muita festa, muita alegria e dos desejos formulados de muita paz e progresso para nós e para os nossos familiares e amigos. 

Os nossos propósitos de sermos mais úteis, que foram formulados em nossas mentes e corações, ajudaram a compor a magia e esperança que precede o novo ano. Um pouco de nostalgia emoldura a despedida do ano velho. Ele, quase sempre, não correspondeu às expectativas de sua chegada e, ainda, trouxe consigo fatos e situações nem sempre agradáveis.

No que concerne ao nosso desejo de sermos melhores e de crescermos, moral e espiritualmente, atrapalha-nos o fardo que carregamos da vida vivida até aqui, resultantes de ações equivocadas. Erros e falhas nos pesam na alma.

O início do novo ano é um bom momento para fazermos uma análise retrospectiva de nossas vidas e, na medida do possível, liberar-mo-nos desse peso subjetivo que a culpa, o ressentimento ou a revolta, atraem. 

Deixo aqui registrada a minha maneira de lidar com os sentimentos que me acusam, os quais insistem em ocupar a minha mente, ocupando-a com energias negativas e improdutivas que maculam a minha aura:


"Escreva os seus erros, medos e culpas. Escreva para você mesmo. Não mostre a ninguém.


Deixe que a sua alma escreva e exorcize os fantasmas que rondam a sua existência. 

Olhe de frente os seus erros. Aceite-os!


Reconheça-se falho e imperfeito, mas, sobretudo, reconheça que quem te criou sabia das suas imperfeições e o ama assim mesmo, do jeito que você é ou já foi.

Divida a sua narrativa em diversos capítulos, se assim achar mais fácil e útil.



Esse não é um exercício crítico das suas ações, portanto, se gostou do que fez ou do resultado, naquele momento, mencione no texto isso e, se não gostou, anote isso também. Não importa que a ação, deliberada ou não, tenha sido má em seus resultados. Seja honesto com todos os sentimentos e emoções que estiveram envolvidos nos fatos relatados.

Leia tudo que escreveu. 

Releia.

Conserte, amplie, corrija e, quando estiver tudo perfeito: DELETE TODO O TEXTO.

Enquanto você escreve, está trazendo para o andar de cima o que estava guardado no subterrâneo, no plano subjetivo. 

Aproveite para se perdoar e para perdoar a todos que estiveram envolvimento nos fatos que narrou.

Dissolva, com amor, as energias negativas que possam ter sido geradas em todas aquelas situações.

As energias do bem estão ao seu lado. Aceite-as para preencher as lacunas dos fatos e pensamentos que estão sendo diluídos e afastados da sua vida.

É a prática do "Conhece-te a ti mesmo". Um remédio super eficaz.

Lembre-se de que Deus e o Universo sabem de nossas fraquezas e não as toma em consideração. Mais importante que os desacertos é o desejo de ser melhor e de acertar o mais possível."



Eu faço isso. Acredito que todos tenhamos alguma coisa para consertar...

Importante: Não sou psicólogo e esse exercício é apenas uma iniciativa pessoal que adoto para mim mesmo... se precisar de ajuda, procure um profissional da área.


.-.-.-.-.-.-.-.

Nenhum comentário:

Postar um comentário