Quem sou eu

Minha foto
Eusébio, CE, Brazil
Espírita - Brasil

sexta-feira, 28 de junho de 2013

MÚLTIPLAS VIDAS

Há pessoas que não aceitam as "muitas vidas" terrestres, de cada Espírito, enfatizadas pelo Espiritismo, pelo fato de que nessas vidas não há conexão aparente entre si, isto é, não há memória das vidas anteriores e, portanto, de nada adiantaria viver muitas vidas sem essas lembranças.

Outro ponto de vista em contrário à multiplicidade de vidas que tais pessoas nos apresentam é que esse fato tira a importância da vida atual, já que ela se repetirá no futuro. Dizem: Não há porque uma pessoa se dedicar, trabalhar, ser honesta e cultivar elevada moral, quando pode procurar uma vida mais fácil e de prazeres, agora na vida presente, deixando para uma vida futura qualquer ônus ou sacrifício, em favor da moral e dos bons costumes.

Quem pensa assim está equivocado.

A natureza e a realidade das "muitas vidas", reveladas pelo Espiritismo, estão enfáticas no fato de serem todas elas uma só vida de um mesmo Espírito.  O fato de uma pessoa trocar de roupa não muda, diariamente, sua identidade.

A vida da alma é única e eterna.  

As múltiplas vidas físicas se equiparam aos múltiplos anos letivos da instrução escolar.  Os múltiplos corpos físicos são a roupagem usada pelo Espírito para exercer a vida terrestre, em cada oportunidade, assim como, diversos uniformes escolares não influiriam no estudo e progresso de um estudante.

Se não há lembranças das vidas passadas, isso reflete a bondade de Deus para que não fiquemos subjugados aos erros e inconvenientes cometidos no passado.  Que importaria a um aluno se não tivesse lembrança de onde cursou os anos letivos dos seus estudos anteriores?  Isso, por acaso, apagaria os seus conhecimentos já adquiridos?

O Espírito que reencarna, em nosso planeta, o faz no grau de aprendizado sequente ao seu estudo anterior. Encontrará a realidade de vida que lhe fornecerá as condições para o aprendizado sequencial, sempre em evolução e ascensão espiritual.

A alma ao ser criada recebeu a sua "identidade" espiritual.  Ela é única, eterna e viverá quantas vidas físicas quantas forem necessárias para atingir o mais elevado grau de pureza espiritual. Isso é a extrema graça de Deus, o extremo amor pelos seus filhos.

Nas vidas físicas, os erros passados são corrigidos e toda a colheita do mal ou do bem semeado será da competência de cada Espírito que semeou.

Quando o homem sofre, precisa estar consciente de que sofre porque fez sofrer e causou dor no passado, quando exerceu o livre arbítrio de forma equivocada.

Aceitar o sofrimento é aceitar a corrigenda e o ensino nela contido.

Deus não pune o ser humano (espírito encarnado) mas, também, não o isenta dessa colheita obrigatória de todo o mal semeado, em vidas anteriores.

Estamos sempre no lugar certo, com a família certa e sob as condições de vida mais adequadas para a nossa caminhada e progresso.



.-.-.-.-.-.-.-.






2 comentários:

  1. Concordo com você meu amigo!! É necessário aproveitar cada minuto em prol do próximo. Aproveitar a oportunidade de recomeçar e praticar coisas positivas.
    Grande abraço!
    jorge-menteaberta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Múltiplas Vidas.

    A “consciência individualizada” está presente em múltiplos substratos físicos simultaneamente. Isso é fácil de verificar através dos “sonhos vivenciais” e das chamadas “regressões”.

    Np Brasil tivemos um exemplo sobejamente analisado, e nunca contestado, de Francisco Cândido Xavier, dotado da capacidade de reproduzir textos, gerados por sua consciência, em diversos autores, mantidas as características de cada um deles.

    A extraordinária capacidade de algumas pessoas se destacarem em determinadas atividades pode ser facilmente explicada pelo acervo de experiências anteriores e simultâneas neste segmento.

    Um arquiteto que desenvolve projetos maravilhosos, e desafiantes, está certamente aplicando soluções arquitetônicas vivenciadas por ele em outras inserções de vida.

    O poeta que deslumbra a todos nós com mensagens encantadoras que tocam nossa sensibilidade, certamente não gerou essa característica partindo do nada, quando nasceu.

    O escritor que confessa que perde o controle de seus personagens quando escreve um livro, está nos dizendo que seu livro é o relato de suas vivências anteriores e/ou simultâneas, mesmo porque em muitos destes livros há aspectos autobiográficos.

    Ultimamente jovens tem nos deslumbrado e surpreendido com criação de maravilhas eletrônicas, geradas por mentes que certamente estão reproduzindo experiências de vidas anteriores.

    A negação destas evidências e muitas outras que podem ser referidas, é contrariar a lógica e dispensa comentários.

    http://harmoniaenergetica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir